Crítica: Um Porto Seguro (2013)


Direção: Lasse Hallström


Elenco: Cobie Smulders, Julianne Hough, David Lyons, Josh Duhamel, Noah Lomax, Lauren York, Ric Reitz, Mike Pniewski.


Sinopse: Em Um Porto Seguro, acompanhamos Katie, uma garota que vem Southport, cidade na Carolina do Norte, trazendo consigo um passado obscuro. Logo começa uma relação com um viúvo, que tem dois filhos. Sua vida parece perfeita, até que seus segredos começam a ser revelados. Ela vai reconhecer que o amor é a única coisa que salvá-la.




Trailer:




Falar de um filme baseado em algum romance escrito por Nicholas Sparks sempre é perigoso, e pode ferir ou as fãs do escritor, ou os mais críticos que odeiam suas obras. Enfim, esta nova produção chamada Um Porto Seguro acaba seguindo a mesmíssima linha das outras obras do escritor. Ou seja, você já viu isso. Portanto, se você faz parte do público feminino ou mais sentimental e amou os outros filmes, poderá se emocionar de novo, e quem sabe até chorar; embora eu ache que não chega a tanto. Mas se você nunca gostou da fórmula "água com açúcar", fuja deste filme.



Após um início diferente e um pouco tenso, conhecemos a melosa história que acaba unindo Katie com um viúvo e seus filhos. A partir daí é aquilo que você certamente já viu em Diário de uma Paixão, Noites de Tormenta, Querido John, A Última Música, Um Amor para Recordar, Um Homem de Sorte e Uma Carta de Amor. Acabei de listar todos filmes baseados nos romances de Nicholas Sparks, que inevitavelmente seguem sua linha própria e tem todo seu universo certeiro. Seus romances doces sempre são abalados por um mal que serve como teste do amor verdadeiro. Acrescente melancolia e excesso de drama. Por vezes, a felicidade e a química extremamente romantizada dos casais acaba gerando certa irritação, tamanho romantismo retratado.

Este humilde cinéfilo que aqui vos escreve tem algo para admitir: tenho certo carinho por Um Amor Para Recordar e Diário de uma Paixão. São filmes que até certo ponto são eficientes na maneira com que a pureza e o amor são mostrados e testados. E estes dois são certamente os filmes de romance favoritos de muita gente, e isto é fato. Os demais filmes foram tentativas de se dar bem, repetindo a fórmula. O roteiro deste filme em questão acaba indo pelo mesmo caminho até quase o final, onde sofre uma reviravolta brusca. Ao final do filme vira um suspense quase como que Dormindo com o Inimigo, lembra? Muitas pessoas tem saído reclamando do final, ainda mais com a cena final onde há uma surpresa que foge dos padrões do escritor.


As atuações estão básicas. A bela atriz e cantora Julianne Hough dá conta do recado. Ela e seus olhos lindos foram vistos em Rock Of Ages e parece ser a grande aposta de Hollywood para viver mocinhas. Josh Duhamel (de Transformers e marido da Fergie) consegue química com a loira e faz sua parte de maneira aceitável. Não há muito o que cobrar deles neste filme. A fotografia do filme é linda, como já é de se esperar nos filmes de Sparks. Há uma cena da canoa bem parecida com a de Diários de uma Paixão. Parece que os escritor sempre cai em lugares já conhecidos. O diretor Lasse Hallström, que geralmente faz filmes emocionantes como Sempre ao Seu Lado, entrega uma direção "iluminada". Como assim? O tempo todo ele explora as luzes, a claridade, o sol e outros elementos reconfortantes. É como se ele realmente quisesse passar a sensação de segurança. Não vou tirar o mérito, ele soube trabalhar de maneira visual.


Por fim digo que ficará aquela sensação de "eu já vi isso". Nos menos exigentes ficará a sensação de mensagem reconfortante. É um romance açucarado e tem seu público alvo próprio. Tem umas cenas belas, uns diálogos bobos.  Nicholas Sparks é isso. Mutos acharão o final um tanto trágico e eletrizante exagerado, tirando o clima romântico. A reviravolta final pega de surpresa e muitos sairão comentando. Em fim, depois de ler tudo que falei você decide se assisti ou não. Se eu recomendo? Caso você goste dos filmes deste escritor, sim assista; ele pelo menos tenta "inovar" no final (usando clichês). É um entretenimento leve, para se ver com o amado (a) domingo à tarde. Não será um dos melhores filmes do ano, mas também não será dos piores. Apenas é aquilo tudo do Sparks, e um doce amor que precisa enfrentar a prova de fogo...

NOTA: 6


Capa do livro:




Bônus: Julianne Hough










Josh Duhamel:








Mais fotos e cartazes do filme:

















O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...