Especial Dia das Mães - Um Sonho Possível


No início da semana estava pensando sobre qual filme escrever nesta data de hoje. Fui pesquisar e acredite: há muito, mas muito filme bom com uma temática onde a mãe é uma guerreira, que protege e faz de tudo por sua cria. Mas aí me deparei e lembrei deste, que dentre os filmes mais recentes é o melhor. Um Sonho Possível foi sensação entre o final de 2009 e início de 2010.
Um filme dramático emocionante, onde ainda traz uma carga social ímpar e comovente.


Trailer do filme:



Logo de início a narração da ótima Sandra Bullock explica o título do filme (o título original, que seria The Blind Side = O Lado Cego). O termo vem de uma posição no jogo de futebol americano, um detalhe que terá importância no restante do filme. Depois desta explicação, vemos a história real de Michael Oher, que vivia quase que nas ruas, vandalizado e traumatizado pela sua situação. Típico "cara negro do gueto", digamos que nem mesmo ele acredita no seu potencial. É aí que entra em cena Leigh Anne, que acaba levando-o para sua casa e lhe dando uma nova perspectiva de vida. Se eu for bancar o chato e crítico, diria que o filme é muito bom, mas peca em trazer mais uma destas extraordinárias histórias reais, há muito drama e alguém tão puro e cristão como a personagem de Sandra Bullock é irreal. Mas não farei isso. Hoje é um dia de pensar em amor, e isso o filme passa.


É muito interessante ver alguém que deveria ser uma típica "loira perua", com seu marido, filhos e vidinha "perfeitos"; tomar atitude de mudar a vida de alguém. Pode parecer irreal, mas gosto de pensar que em algum lugar deste mundão há pessoas assim ainda. A relação de mãe e filho que se cria entre Leigh e Michael é convincente. Aliás, este rapaz humildemente entrega uma atuação linda. Cada cena que ele interage com Bullock é demais. Mas confesso que gostei mais ainda das cenas dele com a filha adolescente de Bullock. As conversas e o jeito protetor do rapaz refletem a gratidão e o amor pela família que o adotou. 

A princípio parece um escândalo para a sociedade uma família de respeito acolher em seu lar um jovem marginalizado, muito grande e negro. Mas Leigh mostra o que é o certo a fazer, ajudando de todas formas o rapaz. Mesmo quando "a pulga atrás da orelha" é lançada, onde alguns demonstram preocupação em ter um moça e um rapaz criado na rua debaixo do mesmo teto, a ideia não dura muito, evitando assim grandes estragos. Quebrando barreiras sociais, Leigh assumi riscos e ajuda o rapaz a buscar seus sonhos e um futuro. Futuro este no futebol americano, algo com que ele tem habilidade. De outra óptica, Michael quebra barreiras emocionais e aceita esta mãe de braços abertos.

Achei importante comentar sobre este filme hoje. Um drama sólido e maduro, mas sem deixar de ser espirituoso e inocente. Foi um sucesso, arrecadando mais de US$ 220 milhões nos Estados Unidos. E não devemos esquecer que foi com este filme que Sandra Bullock finalmente ganhou um Oscar de Melhor Atriz. Foi muito merecido, seu papel é incrível. Fica para hoje a mensagem fortalecedora de que tudo é possível, até aquele sonho que parece inalcançável. Isto é possível mesmo se houver um lado cego a ser superado. Fica ainda a mensagem de que para ser mãe, e não apenas mãe; mas pai e irmão; sim para ser família: basta querer e fazer tudo com todas as forças para fazer a diferença na vida de alguém.

NOTA: 9













E nossa homenagem a você: mulher, mãe, amada e guerreira:






O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...