CRÍTICA: V/H/S/2 (2013)


A surpresa do gênero horror desse ano.
Claro que, honestamente, após assistir ao filme anterior (VHS - 2012) que é igualmente ótimo, eu só tinha as melhores expectativas que foram prontamente atendidas. 
Há algumas promessas de bons filmes de terror para apavorar as telas ainda esse ano, mas eu duvido que outro alcance os méritos dessa admirável sequência. 
O filme é completo em atender todos os requisitos que um filme excelente de horror deve ter. Ele assusta, ele incomoda, tem um clima denso onde por vezes faz com que você se contorça em seu assento. Alguns virarão o rosto (eu desviei o olhar em um par de momentos) e todos passarão pouco mais de uma hora e meia se sentindo como em uma montanha-russa de emoções.
Nossa equipe resolveu fazer algo diferente para esse filme especial. Nossa primeira crítica em parceria. Como o filme é formado de curtas (quatro) eu, w.s.o. comentarei dois e l.d.c. (que também assistiu ao filme e adorou) comentará outros os dois. 
Conheça os curtas que formam essa imperdível antologia:

FITA 47 (TAPE 47)


Bom, na verdade existe o segmento que inicia o filme e também o encerra. São dois jovens que invadem essa casa onde estão as tais fitas contendo os episódios macabros que nós acabamos assistindo juntos. É a mesma estrutura do primeiro filme, mas aqui acaba se desenrolando melhor. Esse segmento tem mais ritmo e acontecimentos do que no primeiro filme e logo nos primeiros 10 minutos já nos entrega um momento - mesmo que breve - de tensão pura. w.s.o

1) EXPERIMENTOS CLÍNICOS (CLINICAL TRIALS)


Na primeira fita temos um homem que substitui seu olho por um olho robótico e por questões de testes de qualidade a companhia decide gravar o que ele vê. Isso dá muito errado quando o que ele começa a ver são fantasmas.
O curta é o que eu menos gostei de todos. Inexplicavelmente pareceu confuso para mim, mas um detalhe mais importante: é o único curta que peca pela originalidade. Certo. A "coisa do olho" é até original, mas o tema "fantasmagórico" e toda forma como é apresentado é bem batido. O que eu não pude perdoar mesmo foi o fato dos sustos funcionarem basicamente porque estão acompanhados daquele som alto típico. Fica sem lógica uma vez que se trata de uma filmagem que deve passar a impressão de ser "real". Mas todo esse projeto no geral é tão bom que no fim os acertos até compensam os erros aqui. A forma de assustar é batida? É. Mas é eficaz! w.s.o

2) UM PASSEIO NO PARQUE (A RIDE IN THE PARK)




Nesta segunda fita que uma personagem e brilhantemente você (o expectador) assistem, temos o batido subgênero survival, especificamente temos zumbis. Mas o diferencial é o método pelo qual acompanhamos esta infestação de mortos. Tudo acontece do ponto de vista de um ciclista que literalmente passeia pelo parque e é atacado. Acompanhamos sua transformação e vemos quando ele passa a também atacar outros que passeiam felizes nesta tarde ensolarada. O ataque à uma festa de aniversário infantil é chocante e eletrizante. É fantástico o efeito que a câmera no capacete do ciclista faz, fazendo você acompanhar tudo da óptica do zumbi! Quando uma das pessoas passa por cima do zumbi com o carro, sentimos uma sensação estranha do tipo: poxa, acabamos de ver um atropelamento de zumbi, presenciado por baixo do carro e de tal forma que chegamos a sentir pena dele!

Embora tenham usado uma temática batida, aqui neste conto o que não falta é adrenalina, sem falar de todo gore, mordidas e ferimentos que são mostrados sem dó nem piedade. Concordo com o w.s.o. numa coisa, os dois primeiros contos foram os menos originais, mas extremamente eficazes em te prender na poltrona e surpreender. l.d.c.

3) PARAÍSO SEGURO (SAFE HAVEN)


Escrevi sobre o curta que menos gostei e agora tenho a chance de escrever sobre o que mais gostei. Li uma crítica americana que dizia que ao menos dois curtas do filme eram bom o bastante para se tornar filmes independentes e, bem, não há dúvida nenhuma de que esse é um deles. É um consenso que esse curta sozinho já vale assistir o filme! Simplesmente são os minutos de filme mais perturbadores e sufocantes e aterradores (fico até sem adjetivos) que já vi em muito tempo.
É sobre um culto muito sinistro na Indonésia. Uma equipe de filmagens vai até lá para tentar recolher algumas informações sobre como tudo funciona, mas eles têm o azar de terem ido bem no dia onde algo bizarro e enorme (em todos os sentidos) está prestes a acontecer.
É terror em seu mais puro estado e em mais alto nível. Um filme solo explorando todas as incríveis possibilidades desse curta simplesmente seria uma pérola eterna do horror. Ponto. w.s.o

4)  FESTA DO PIJAMA DA ABDUÇÃO ALIEN (SLUMBER PARTY ALIEN ABDUCTION)




Cá estou eu de novo para falar do último conto/tape. Achei esta a segunda melhor fita do longa, perdendo apenas para o anterior. Aqui acompanhamos um grupo de jovens (alguns irmãos e se seus amigos e namorados), que estão reunidos em casa após seus pais saírem. É aí que uma sinistra força alienígena começa a abduzir os jovens. Os momentos são extremamente sufocantes e surreais. Eu tenho esta cisma com aliens e abduções, então imagine que fiquei grudado na tela sem piscar e apavorado. E isto que não sou de me apavorar! Acho Atividade Paranormal fraco! Mas aqui tudo ocorre de maneira intensa. E o diferencial? A câmera acompanha a perspectiva do cachorrinho Tank, já que tudo é filmado da coleira dele. Sentimos pena do bichinho e ficamos torcendo por ele! Aquelas pessoas que ficam torcendo pros animais em filmes de terror ou catástrofe irão surtar.

Este é o último conto que os tais jovens assistem, sendo bem interessante e agradará fãs de filmes sobre vida extraterrestre. E os sons e zumbidos na hora dos ataques são horripilantes! l.d.c.



FITA 47 (TAPE 47)



Após a última fita, ainda temos um encerramento para FITA 47, esta estória central que liga as outras. Como já era de se imaginar, o encerramento é com mortes e surpresas horrendas, mas nada pior do que foi apresentado nos ótimos 4 contos. Nos créditos finais ainda temos bons flashbacks do que foi visto. 

O filme é realmente a grande surpresa do ano no quesito terror: gore e sangue, sustos e adrenalina, originalidade ao contar as estórias macabras de forma diferente, sob pontos de vistas alternativos. Um filme que surpreende e é melhor que a maioria dos filmes de terror que chegam ao cinemas. Curiosamente, esta sequência segue os passos do primeiro: surge primeiramente em DVD no estrangeiro e depois na internet. DVD por aqui? Pirata só se for, e depois disso devido ao sucesso; chega aos cinemas americanos. Aqui o primeiro filme segue inédito! Este segundo sai nos cinemas lá fora só 12 de Julho. Ou seja, ou você faz o download destes dois filmes, ou ainda vai demorar no mínimo um ano para conseguir ver o primeiro, se for lançado em DVD! Corra para os sites e veja estas duas ótimas obras. E só para constar, o filme conta com diversos diretores de peso, como Gareth Evans de Operação Invasão, Eduardo Sanchez de A Bruxa de Blair, Jason Eisener de Hobo with a Shotgun e assim por diante. É imperdível! l.d.c.

NOTA: 9,5    w.s.o
NOTA: 9,0    l.d.c.










Mágico de Oz

6 comentários :

  1. Insuportável não ter como pausar essa musiquinha hem. Perdeu um leitor

    ResponderExcluir
  2. Para pausar a trilha sonora é só clicar na opção no player ali em baixo, você viu ou foi apressado? Obrigado :)

    ResponderExcluir
  3. eu gostei da trilha torna o site original

    ResponderExcluir
  4. Obrigado Otávio, originalidade é o que buscamos. Volte sempre :)

    ResponderExcluir
  5. oii, sou fã de vhs tanto o 1 o 2 conseguiram me dar sustos, oq é dificil já que eu morro de rir na maioria dos taxados como assustadores (mama.. arraste-me para o inferno.. o ultimo exercismo.. a morte do demonio..). junto de vhs somente supernatural 1 e 2 me deram sustos :3 me recomenda ver quais filmes? :p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Thalles, te recomendo Fenômenos Paranormais 1 e 2, American Mary, ABC da Morte, trilogia Presos no Gelo e trilogia Terror no Pântano, são desconhecidos mas muito bons, abração e volte sempre :)

      Excluir

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...