P.S. Eu Te Amo - Para Bruna Soares


''Prometa que sempre que se sentir triste ou insegura ou perder completamente a fé, vai tentar olhar para si mesma, com meus olhos''.

Apesar da demora, está aí mais um pedido atendido. Bruna Soares queria uma matéria do filme P.S. Eu Te Amo, e aí está. Confesso que ainda não tinha visto o filme, até porque sinceramente romance não é meu forte, tanto no cinema como na vida real. Além dos típicos clichês, os romances costumam ser açucarados demais, fantasiosos. É isso ou eu que sou amargo com esse assunto, ainda não descobri. Mas como a matéria é para minha leitora e não para mim, vou tentar não ser chato. Vamos lá:


O filme é dirigido por Richard LaGravenese, que gosta de trabalhar com temáticas mais emocionais. Baseado em um livro escrito pela irlandesa Cecelia Ahern, o filme logo se tornou 'hit' e conquistou legião de fãs apaixonados pelo globo, incluindo alguns amigos meus. De uma maneira muito simples e debochada às vezes, o diretor faz um filme triste, mas não tão sério. Na verdade acho que era esta a intenção, fazer algo que atingisse a proposta do protagonista, um irlandês boa pinta que morre mas deixa instruções de como sua amada viúva deve levar a vida; instruções muitas vezes hilárias, fazendo com que aos poucos a moça dê o aguardado adeus. Esta é a trama, nada muito além disso. O restante é a moça recebendo as mensagens do seu amado falecido, seguindo assim suas instruções.

Como se trata de uma comédia romântica com toques de drama, tem alguns clichês que podem incomodar os mais exigentes. Mas no geral o filme irá agradar os corações femininos e os casais de plantão. Tem seus momentos apaixonantes e digo que o elenco é ótimo. A excelente atriz Hilary Swank faz aqui um papel mais 'light', para variar um pouco a carreira. Linda e carismática sempre, se sai bem no papel, embora que em alguns momentos nem parece a mesma valentona do filme 'Menina de Ouro'. Gerard Butler (o marido morto) é a personagem mais bacana, presente o filme todo através de suas cartas e de algumas lembranças. O cara tem carisma, é engraçado, canta bem e irá agradar grande parte do público feminino. Ainda temos as boas participações de Harry Connick Jr, Kathy Bates e Jeffrey Dean Morgan, que temperam o filme.

Nas cenas que se passam na Irlanda, a fotografia favorece o filme. No geral tudo seria mais do mesmo. Fica então a bonita mensagem final, de que para se seguir em frente é preciso dar "adeus" muitas vezes. Quando um amado se vai para a morte, ou até mesmo quando um relacionamento simplesmente acaba, as pessoas tendem a ficar presas, perdendo um tempo vital em que poderiam estar sendo felizes. Não sei se eu sou diferente demais ou penso demais, mas acho que a maioria sofre tanto porque não tem em mente o tempo todo que a morte e os finais de relacionamentos (e qualquer outro tipo de final) fazem parte da vida. Qualquer segundo pode ser o último. Sofrer faz parte, é normal. Mas não podemos deixar isso fazer parte permanente da vida. Esta mensagem ficou na minha mente e gostei de compartilhá-la aqui. E gostei do modo que a personagem de Gerry (Gerard Butler) pensa, afinal além de ser um cara de visão e extrovertido, é original. Pessoas que encaram a vida como ele e tiram sarro da desgraça são difíceis. Na pele dele, sempre imaginei fazendo algo parecido, deixando uma mensagem positiva para quem amo mesmo após morrer.

Mesmo que não seja meu tipo de filme favorito (talvez porque nunca tive sorte de achar alguém bacana eu acho), está aí o pedido de Bruna Soares. Obrigado por nos acompanhar e espero que goste da matéria. Até a próxima.

NOTA: 7



Direção: Richard LaGravenese

Elenco: Hilary Swank, Gerard Butler, Gina Gershon, Lisa Kudrow, James Marsters, Kathy Bates, Harry Connick Jr, Nellie McKay, Jeffrey Dean Morgan, Dean Winters, Anne Kent, Brian McGrath, Sherie Rene Scott, Susan Blackwell, Michael Countryman, Brian Munn.

Sinopse: Holly Kennedy (Hilary Swank) é casada com Gerry (Gerard Butler), um irlandês engraçado por quem é completamente apaixonada. Porém quando Gerry morre devido a uma doença a vida de Holly também acaba, já que ela entra em profunda depressão. Mas o que ela não esperava era que, imaginando que isto poderia acontecer, Gerry deixou para ela diversas cartas antes de morrer. Cada uma delas busca guiar Holly no caminho de sua recuperação, não apenas da dor pela sua perda mas também de sua própria redescoberta.


Trailer:




Canção Same Mistake, de Jame Blunt:




Filme completo dublado online:















Deixe seu comentário:




O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...