Crítica: A Maldição de Chucky (2013, de Don Mancini)







O clássico 'Brinquedo Assassino' - que apresentou o serial killer Chucky ao mundo, no corpo de um boneco que virou "febre" entre a criançada - foi um enorme sucesso, se tornando assim uma das mais amadas franquias do terror. A sua sequência foi uma das melhores continuações que o gênero do horror já recebeu. O terceiro filme foi mais fraco, mas mesmo assim serviu para divertir. Com a chegada dos anos 2000, 'A Noiva de Chucky' e 'O Filho de Chucky' vieram com um humor negro carregado. No caso do último citado, é quase uma comédia tamanha a palhaçada. Embora divertidos e com um ou outro elemento de metalinguagem e acidez contra Hollywood e as celebridades, os 3 últimos filmes tiveram uma forte queda se comparados com os dois primeiros exemplares, que cumprem bem seu papel no mundo do horror. Quando fiquei sabendo que este filme seria lançado direto para o entretenimento caseiro (home video), ou seja, direto para DVD e Blu-Ray, eu torci o nariz! Acontece que continuações diretas para casa costumam ser péssimas, de precário orçamento e total falta de compromisso. Veja como exemplos os péssimos 'Pânico na Floresta' 3,4 e 5; ou quem sabe você tenha perdido tempo assistindo Hellraiser - Revelações (o nono filme da saga) ou quaisquer sequências de 'Pânico no Lago 2, 3 e 4' ou 'Anacondas 3 e 4'. Mas com extrema felicidade eu digo que mordi a língua - de novo! Mês passado fui surpreendido pelo eficiente 'Doce Vingança 2', também direto para DVD. Agora é a vez do Chucky mostrar que ainda está em forma.


Claro que o filme tem suas limitações, o orçamento realmente não é grande, grande parte das atuações são superficiais e o roteiro não aposta nas personagens humanas. Há ainda uma ou outra morte sem graça, como a cena "tosca" de uma cabeça que rola. Mas até aí nada novo ou determinante em um filme de terror. Acontece que há uma série de acertos que fazem o filme valer a olhada. E o primeiro acerto é justamente resgatar o tom sombrio e macabro dos dois primeiros filmes. Não, não é o melhor filme de todos. O primeiro segue como o melhor, assim como o segundo segue como o segundo colocado em qualidade. Mas este aqui vem a ocupar a terceira posição, deixando para trás os três outros exemplares da franquia. O filme se mantém interessante e sinistro até o final. O fato da protagonista estar presa à uma cadeira de rodas garante que o espectador fique apreensivo em diversos momentos. Dá uma angústia imaginar a situação da protagonista, muito bem vivida por Fiona Dourif.


Entre os acertos, a direção de Don Mancini está boa, com alguns momentos bem inspirados, como toda a sequência do envenenamento na mesa, ou as cenas da cadeirante no elevador ou nas escadas. Tudo bem construído e tenso. O visual da casa é bacana e velho, dando medo. O visual mais moderno de Chucky é um tanto engraçado, mas não desrespeita o antigo, sem falar que pelo final ... vocês verão! O roteiro aposta em reviravoltas e traições, além de apresentar ainda um pouco de humor negro (desta vez bem controlado, mantendo o terror como fator predominante). E o que dizer do final? Sequências de confronto interessantes (mas não se empolgue muito!), reviravoltas, um pouco de nostalgia e muitas surpresas. Há toda uma ligação entre a trilogia inicial e os dois último filmes (principalmente 'A Noiva de Chucky'). Prepare-se, pois o final é muito interessante, cheio de cenas pós-créditos e dá dicas de possíveis continuações. Nunca irrite um assassino, pois ele pode voltar no corpo de um brinquedo, e se vingar! 'A Maldição de Chucky' é uma das mais agradáveis surpresas do ano, um filme que mesmo não indo para a telona do cinema, vale muito ser assistido pelos fãs da saga e do terror.

Você quer brincar comigo?

Nota: 8


Direção: Don Mancini

Elenco: Brad Dourif, Fiona Dourif, Danielle Bisutti, A Martinez, Chantal Quesnelle, Brennan Elliott.

Sinopse: o filme história acompanha Nica (Fiona Dourif, de True Blood), uma jovem paraplégica que ganha o boneco assassino da mãe suicida. A família se reúne para o funeral, e sua dominadora irmã mais velha Barb traz toda a família para resolver os assuntos pendentes da divisão de bens da mãe. Mal eles sabem que Chucky tem uma vingança pessoal para resolver, e quer encerrar o trabalho que ele começou há mais de vinte anos.


Trailer:


  







  


Deixe seu comentário:



O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...