Filmes para destruir seu Natal - 2° Edição



Então chegamos em mais um Natal e mais uma vez trazemos uma matéria falando um pouco a respeito desta data e o cinema, porém às avessas. Filmes que destroem seu Natal pela confusão ou trágica mortandade. Mas antes, vamos às origens reais do Natal?


O verdadeiro simbolismo de Natal oculta transcendentes mistérios. Esta festividade tem sua origem fixada no paganismo. Era um dia consagrado à celebração do “Sol Invicto”. O Sol tem sua representação no deus greco-romano Apolo e, seus equivalentes entre outros povos pagãos são diversos: Ra, o deus egípcio, Utudos na Babilônia, Surya da Índia e também Baal e Mitra. Mitra era muito apreciado pelos romanos, seus rituais eram apenas homens que participavam. Era uma religião de iniciação secreta, semelhante aos existes na Maçonaria. Aureliano (227-275 d.C), Imperador da Roma, estabeleceu no ano de 273 d.C., o dia do nascimento do Sol em 25 de dezembro “Natalis Solis Invcti”, que significava o nascimento do Sol invencível. Todo O Império passou a comemorar neste dia o nascimento de Mitra-Menino, Deus Indo-Persa da Luz, que também foi visitado por magos que lhe ofertaram mirra, incenso e ouro. Era também nesta noite o início do Solstício de Inverno, segundo o Calendário Juliano, que seguia a “Saturnalia” (17 a 24 de dezembro), festa em homenagem à Saturno. Era portanto, solenizado o dia mais curto do ano no Hemisfério Norte e o nascimento de um Novo Sol. Este fenômeno astronômico é exatamente o oposto em nosso Hemisfério Sul.

Chega de blá blá blá, vamos aos filmes "descomemorativos". 
Veja a edição do ano passado aqui!.


Natal Negro (original de 1974 e remake de 2006)
Meus filmes que se passam no Natal favoritos, principalmente o filme original de 1974, que é um dos filmes de terror dos anos 70 que mais me deixou tenso. Um legítimo suspense de qualidade, onde o horror não está nas violentas mortes, mas na situação em si. Um lunático começa a fazer estranhas ligações a uma fraternidade de garotas, onde explicitamente fala obscenidades ao telefone. O que começa como simples trote passa a ser uma experiência aterrorizante. Um assassino e tarado, perseguindo universitárias - é algo que vemos bastante hoje (rsrs). O diferencial é tudo ocorrer numa data que deveria ser de paz. Meu sarcasmo à parte, o filme é um sólido terror setentista, daqueles que não vemos a muito tempo.


Resgate em Alta Velocidade
Este é um dos maiores fiascos do ano, obra que tentou se lançar como nova saga. Pode-se definir o filme como um velho louco que decide brincar ao telefone (de novo?) com um cara e uma jovem. Na noite de Natal ocorrem muitas batidas de carro e a comprovação de que vilões e policiais de filmes de ação realmente não sabem dirigir.


P2 - Sem Saída
Um psicopata com traumas de mulheres (algo "à la Norman Bates de 'Psicose') decide sequestrar a moça que trabalhou até tarde na noite de Natal. O tarado (sempre são, não é?) faz de tudo pra ter a atenção da jovem, que se mostra uma "surviver" e detona o cara com estilo. Um bom terror slasher, que apesar de não inovar pelo menos manda bem ao usar os velhos clichês. A cena do elevador enchendo de água e a do carro empurrando a cadeira com rodinha são intensas. E o engraçado é que aqui o assassino é bem "lesado" e passado pra trás pela protagonista. Assim diria minha avó: o que não faz um "rabo-de-saia"!


Gremlins 1 e 2
Não tem como não lembrar destes clássicos da Amblin. São referência de diversão e humor negro nesta data festiva. Papai Noel ser morto pelas estranhas criaturas no primeiro filme ou o Gremlin travesti no segundo são hilários. São diversão garantida e inteligente, que bota abaixo o período em que estamos. 
Nada como recorrermos ao cinema neste fim de ano. Use de bom humor e assista algumas destas produções, que destroem seu Natal, no bom sentido é claro. Até ano que vem.

Deixe seu comentário:

O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...