Suspense e Terror: As Bruxas de Zugarramurdi (2014, de Álex de la Iglesia)







Ainda colocando em dia críticas atrasadas, trago a breve opinião deste filme espanhol. As Bruxas de Zugarramurdi é a mais nova e ácida obra do consagrado diretor Álex de la Iglesia, que tem no currículo filmes divertidamente brilhantes, como o ótimo O Dia da Besta. Com uma direção alucinada, roteiro afiado e elenco espanhol de peso, o filme é o mais divertido dentre os lançamentos de 2014 até então. Na trama, atrapalhados assaltantes de banco, o filhinho de um deles, um taxista, a polícia e alguns outros elementos típicos vão parar em pequena localidade, onde uma velha seita de bruxas espera a chegada da criança escolhida. Até aqui teríamos um filme de horror clichê. E seria, se não fosse uma sátira feminista.




Brilhantemente, Iglesia usa a fantasia apenas como maquiagem para reverenciar, jogar ácido e homenagear o universo feminino. O filme traz as emoções, sentimentos, desejos e caprichos; além de toda uma referência a estes místicos seres. Se no brilhante O Dia da Besta o diretor usa a esperada chegada no novo milênio e a possibilidade do fim do mundo (algo extremamente recorrente nos filmes noventistas) como pano de fundo para uma genuína sátira à sociedade e suas crenças e culturas POP, aqui ele usa o contextos "bruxas" para satirizar algo que os homens (e porque não dizer o mundo, afinal sem elas não haveria a espécie) não vive sem: as mulheres.


A direção é louca e agitada. Desde a insana sequência inicial do assalto até o megalomaníaco final, o filme não perde ritmo em momento nenhum. Há sempre correria, uma piada e diálogos sagazes. Este filme não chega no patamar do já citado filme de 1995, O Dia da Besta. Mas pega o mesmo caminho e entrega um filme estrangeiro bem pipoca e inteligente. Há algumas cenas exageradas, como a da monstra-deusa-mãe gigante no final. Mesmo assim o final não decepciona. Aqui, os bizarros protagonistas e os acontecimentos que se seguem estranhamente tem um propósito que a princípio parece puro "besteirol", mas para quem conhece o estilo do diretor, se deleita com metalinguagem e críticas ácidas. Se você gosta de cinema estrangeiro, um tanto fora do comum e alternativo, irá ver um dos filmes mais frenéticos e engraçados dos últimos anos. Assista sem medo o irreverente As Bruxas de Zugarramurdi. Mais uma vez Álex de la Iglesia entrega um terror debochado e genuinamente camuflado, sendo muito mais inteligente do que poderia ser.









Direção: Álex de la Iglesia


Elenco: Hugo Silva, Mario Casas, Pepon Nieto, Carolina Bang, Terele Pavez, Jaime Ordoñez, Carlos Areces, Santiago Segura, Secun de la Rosa, Macarena Gómez, Gabriel Delgado, Carmen Maura


Sinopse: baseado num caso real ocorrido em Logronõ em 1610, quando a Inquisição queimou 40 habitantes, acusados de serem bruxas de Zugarramurdi, o filme conta a história de José (Hugo Silva), um pai divorciado, e um jovem desempregado, Antonio (Mario Casas), que assaltam uma ourivesaria em Madrid. Posteriormente eles tentam fugir para França num táxi, contudo esta viagem começa a correr mal quando mergulham nos bosques do País Basco, e acabam nas mãos de uma família de bruxas, com três gerações .


                        
                       
                                                                                  Trailer:















Deixe seu comentário:


O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...