Crítica: Pompeia (2014, de Paul W.S. Anderson) - Épico baseado em uma das maiores catástrofes do mundo antigo!





O início cinematográfico de 2014 foi marcado por diversos fracassos e decepções. Juntamente com Frankenstein - Entre Anjos e Demônios (leia a crítica aqui) e Hércules 3D (leia a crítica aqui), Pompeia amargou em público e crítica. Mas diferente da decepção dos dois filmes citados, Pompeia é um filme muito melhor. Clichê é verdade, mas diria que é um amontoado de clichês convincentes e bem usados. Enquanto que os outros dois filmes citados tiveram cerca de 5% de aprovação da crítica apenas, Pompeia se sai um pouquinho melhor, com 30%. Nas mãos do diretor Paul W.S. Anderson (de Resident Evil 1, 4 e 5, Corrida Mortal e Os Três Mosqueteiros 3D), o diretor perito em ação e efeitos especiais entrega uma montanha russa. Nas suas costas está a missão de relatar a tragédia real de Pompeia, cidade-ilha devastada pelo vulcão Vesúvio. Hoje, Pompeia é um dos lugares mais visitados por turistas, onde se pode ver os corpos do povo da cidade verdadeiramente petrificado pelas cinzas do vulcão. A opção do diretor e dos roteiristas foi fazer uma mistura de Gladiador, Titanic 2012. Mesmo que de pura fantasia, o filme é um dos épicos mais divertidos dentre os mais recentes.

Começando pelo roteiro, há algumas falhas. Como já comentado não há inovação na história contada e parece haver esta improvável mistura. Há o herói das lutas nas arenas, lutas estas para distrair o povo da corrupção política (como em Gladiador). Há o romance do pobre guerreiro com a moça de família, e nesse meio surge a catástrofe (como em Titanic) e por fim; há a destruição em massa, com chocante efeitos especiais (como em 2012). Algumas cenas de ação, lutas e destruição são aquelas tipicamente forçadas, com os heróis escapando de situações impossíveis e algumas leis da gravidade sendo esquecidas. O elenco é bom, mas o roteiro focado na ação não explora a capacidade dos atores. Tanto que o vilão por exemplo é tão mau que soa caricato. No geral estes são os defeitos do filme, que irá distanciar os mais exigentes, aqueles que procuram reflexões ou fidelidade histórica. Mas se você for ver o filme para se distrair, há muito com o que se divertir.


Embora não tenha nenhum banho de sangue como em 300 - A Ascensão de um Império (leia a crítica aqui), o filme tem uma dose de cenas mais fortes. A violência e as mortes são um pouco mais intensas do que o costumeiro em filmes para o grande público, como o já citado Hércules 3D. Há chicotadas, cortes e boas lutas nas arenas, no qual se concentra boa parte do filme. Aos poucos o vulcão dá sinais, como uma personagem coadjuvante. Então chega o terceiro e último ato do filme, onde o monte Vesúvio se torna o protagonista. E quando isso acontece, não há do que reclamar. A destruição é intensa, o caos é total. Há tsunami, chuva de pedra e lava. Os efeitos especiais são simplesmente espetaculares, um dos melhores do ano, dignos do filme '2012'. Se tem uma coisa em que o diretor Paul W.S. Anderson é bom é em apresentar ação e efeitos especias estilizados. Câmera lenta e arremessos em 3D incríveis e de bom gosto. Aliás, Pompeia parece ser o único filme deste ano em que a tecnologia 3D realmente funcionou e valeu o ingresso.




Embora que não sejam de fato boas, as atuações ao menos não atrapalham ou estragam o filme. O herói é vivido por Kit Harington (o Jon Snow do ótimo seriado Game of Thrones), que apesar de não ser grande ator, segura as pontas. A mocinha é a bela, talentosa e não tão conhecida Emily Browning (de Sucker Punch - Mundo Surreal e O Mistério das Duas Irmãs). O vilão é Kiefer Sutherland (o eterno Jack Bauer da série 24 Horas). E o coadjuvante e amigo do herói é o descendente nigeriano Adewale Akinnuoye-Agbaje (de O Retorno da Múmia). Basicamente são estes quatro que carregam o filme nas costas até o fim. Há ainda a pequena participação de Carrie-Anne Moss (a eterna Trinity da trilogia Matrix). O romance entre o jovem casal consegue fazer você torcer por eles, mesmo que o roteiro não explore muito bem isso. Mas mais interessante ainda é a amizade entre o herói Milo (Harington) e o gladiador Atticus (Agbaje). Da rivalidade surge esta parceria, ocorrendo assim a luta pela liberdade. E assim temos as lutas, o romance e algumas críticas políticas. Há até um momento em que se critica as lutas e o esporte em si não como diversão, mas como política. E hoje isso ainda é válido.



Pompeia não irá ganhar o Oscar, não te irá fazer refletir, o roteiro não é original e o filme não tem atuações marcantes. Não tem fidelidade histórica, alguns poderão achar uma afronta às vítimas da tragédia e o final irá desagradar e será odiado pela maioria. Mas poderá emocionar o público feminino e os mais sensíveis. Se você for ver o filme tendo em mente que é uma ficção com muitos efeitos especiais, baseado em uma tragédia real (tantos filmes já são assim); aí poderá sim se divertir muito com o novo e agitado trabalho deste diretor. Inclusive afirmo que este é o trabalho mais maduro de Paul W.S. Anderson. As megalomaníacas cenas de destruição são sensacionais e o monte Vesúvio é o melhor e o verdadeiro protagonista do filme. Uma série de clichês bem usados. E o fato de saber que isso realmente ocorreu lá pelo ano de 79 depois de Cristo te deixa um pouco pensativo. O final pode te deixar com uma sensação de vazio. Um verdadeiro horror que aqui foi apresentado de maneira mais fictícia e com linguagem cinematográfica. E com outros filmes bem fracos ou decepcionantes neste início de ano, Pompeia se garante como um dos mais divertidos e com o que apresenta os melhores efeitos especiais. A trilha sonora é emocionante e este até então é o melhor épico do ano.



Para ler mais sobre a verdadeira tragédia de Pompeia, veja:


http://entremaeefilha.blogspot.com.br/2014/06/pompeia-italia.html
http://www.viajarpelomundo.com/2014/05/pompeia.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pompeia





Direção: Paul W.S. Anderson


Elenco: Kit Harington, Kiefer Sutherland, Jared Harris, Emily Browning, Carrie-Anne Moss, Jared Harris, Adewale Akinnuoye-Agbaje, Jessica Lucas, Paz Vega, Sasha Roiz, Currie Graham.


Sinopse: ‘Pompeia‘ conta a história épica de Milo (Kit Harington – Game of Thrones), um escravo que tornou-se um gladiador e se encontra em uma corrida contra o tempo. Ele precisa salvar seu verdadeiro amor Cassia (Emily Browning – Sucker Punch: Mundo Surreal), a bela filha de um comerciante rico que foi prometida a um corrupto senador romano, em meio a destruição da cidade de Pompeia causada pela erupção do Monte Vesúvio.



                                  Trailer:




         
  
Fotos e cartazes do filme:































































    Veja as fotos reais de Pompeia hoje:


















































Deixe seu comentário:


O Vigilante da Noite

2 comentários :

  1. Da explosão do vulcão em diante, só tenho elogios a fazer sobre esse filme. De resto, prefiro nem comentar. Minhas impressões: http://marcelokeiser.blogspot.com.br/2014/06/critica-pompeia-um-filme-de-paul-w-s.html

    abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo e gostei da sua critica. Obrigado por sua visita meu amigo, um forte abraço!

      Excluir

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...