Crítica: Guardiões da Galáxia (2014, de James Gunn)




Um humano aventureiro espacial e mulherengo, uma durona mulher verde, um assassino fortão mas cheio de sentimentos e frases honrosas (interpretado por um lutador de MMA), um guaxinim armado até os dentes e mal criado; e por fim uma árvore mágica que só sabe falar o seu próprio nome. Tudo isto saído de uma linha de HQ's nada conhecidas da Marvel, nas mãos de um diretor pouco conhecido e em um filme com ares oitentistas, muito humor e quase trash. Isto poderia ter dado muito errado, cafona ou bobo. Mas acaba sendo um dos melhores filmes do ano! Guardiões da Galáxia chega com a difícil e importante missão de tanto apresentar estes novos personagens como de ser o último filme antes do super esperado Os Vingadores 2 - A Era de Ultron - a ser lançado em 2015. E simplesmente é um dos mais espetaculares filmes de fantasia dos últimos anos. Não tem a complexidade de A Origem ou a crítica social de O Cavaleiro das Trevas, tampouco a grandiosidade épica de Avatar. Mas o filme é simplesmente um clássico instantâneo devido a uma quantidade enorme de informações e referências do Universo Marvel. Sem falar que poucos filmes que utilizam do humor se saem de fato bem. Guardiões da Galáxia é uma exceção à parte e é simplesmente um dos filmes mais divertidos, nostálgicos e de fácil identificação - algo que fazia um certo tempo que não ocorria. Leia a crítica e saiba os motivos do filme ser apaixonante.


Primeiramente, este é o penúltimo filme da 'fase 2' dos Vingadores, que deve findar ano que vem em Os Vingadores 2. Nesta fase 2, tivemos o bom (embora muitos não gostem) Homem de Ferro 3 (70% de aprovação de críticos), que diverte, mas não acrescenta muito ao desenvolvimento da fase. Depois tivemos o Thor 2 - O Mundo Sombrio (60% de aprovação), que foi melhor ainda - por acrescentar importantes elementos nesta fase. Logo no início de 2014 Capitão América 2 - O Soldado Invernal (90% de aprovação) veio como um dos melhores filmes com o selo Marvel até hoje, uma produção mais crua, sombria e séria; digna de filmes de espionagem e guerra fria, além de ser um importante capítulo desta fase, onde vemos a desconstrução da S.H.I.E.L.D. O filme arrebentou e surpreendeu por colocar a Marvel em um rumo mais sombrio. Quem diria que após isso, este Guardiões da Galáxia apostaria no humor e mesmo assim subiria ainda mais o nível do selo Marvel, não apenas como um filme tão bom quanto Os Vingadores, mas como um dos melhores de 2014 até agora. Com cerca de 92% da aprovação da crítica especializada, a superprodução vem arrancando elogios de todos, já criou seu público fã e nos coloca não apenas no rumo final da fase 2, mas também no início da fase 3.


Para a direção, a escolha do estúdio foi arriscada, mas sábia. James Gunn é um nerd que até agora só havia dirigido 2 filmes completos pouco conhecidos: Seres Rastejantes, que presta uma homenagem aos filmes de terror trash com alienígenas dos anos 80; e Super, uma sátira aos super-heróis. Fica nítido que o cara é um conhecedor de filmes de fantasia. Logo, ele não desperdiça sua chance e faz de Guardiões da Galáxia uma diversão sem igual. É verdade que se tratando de roteiro, ele é clichê. Mas hoje em dia qual não é? Acontece que aqui temos um bom uso do clichê. Simplesmente tudo que você pode esperar deste tipo de filme está aqui, porém é utilizado de maneira humorada e sagaz. E o humor aqui, que é 50% do filme, não é forçado ou apelativo. Não há aquelas piadas infantis ou pastelonas da maioria das comédias. Aqui tudo funciona na base da inteligência, ironia, humor negro e tudo é construído conforme as características das personagens.




Falando nas personagens, o time de heróis é simplesmente apaixonante. Peter Quill - ou O Senhor das Estrelas como gosta de ser chamado - é vivido por Chris Pratt. Pela primeira vez o ator sai do coadjuvante para ser o grande herói da trama, e não decepciona. Seu humor, sua "canastranice" e sua desenvoltura para a ação empolgam. O cara segura as pontas e se revela ter veia para herói. Não é atoa que em 2015 poderemos ver ele ser o protagonista de Jurassic Park 4. A atriz Zoe Saldana mais uma vez interpreta um papel durão e se sai bem como Gamora. Poucas atrizes conseguem arrebentar com os vilões mantendo sua beleza em diversas cores (sua cor naturalmente negra nos novos Star Trek, azul em Avatar e agora verde em Guardiões da Galáxia). Ela certamente merece o título de musa das ficções científicas atuais. E quem diria que o grandão lutador de MMA Dave Bautista atuaria razoavelmente bem e com certo tom sentimental. Seu personagem Drax não é apenas força bruta e coadjuvante, mas desempenha um papel importante dentro da equipe. Mas mesmo que estes três heróis humanos mandem muito bem, o público irá mesmo se encantar e se identificar com os dois heróis improváveis.

O guaxinim inteligente, irritado, armado e ganancioso Rocket (voz de Bradley Cooper) e seu companheiro Groot (uma árvore um tanto burra, mas infinitamente poderosa e mágica) são o que há de melhor no filme. Na voz (ou grunhidos) de Groot está Vin Diesel. Mesmo que o estranho ser saiba falar apenas "eu sou Groot", consegue passar de maneira inimaginável vários sentimentos. Rocket é o cérebro, Groot é a força, mas os dois apresentam uma incrível importância na história central de maneiras distintas. Poucas superproduções conseguem desenvolver bem as características das personagens. Mas aqui isso ocorre e todos nossos cinco heróis tem personalidades bem distintas e ambíguas. Todos eles começam suas jornadas com características egoístas e ambiciosas, tendo seus defeitos bem evidentes e aproximando muito o filme do público. São seres espaciais muito humanos e imperfeitos.




Entre os coadjuvantes temos os ótimos Benicio Del Toro, Lee Pace, John C. Reilly, Michael Rooker, Djimon Hounsou e Glenn Close. Todos atuando de maneira muito satisfatória. Todos os vilões são muito poderosos, mas o de menos destaque é justamente o grande vilão do universo dos Vingadores. Aguardemos os próximos ataques de Thanos! Na base do humor, dos defeitos de cada um e de algumas lições, o filme surpreende o público e a crítica. Visualmente falando, a criação de todo um novo universo fictício cinematográfico é estarrecedor. Tudo é muito real, crível e é possível entrar de cabeça neste universo. O 3D de profundidade é bom, não chega a ser perfeito e não há grandes coisas voando na nossa direção, mas percebe-se a profundidade das cenas e ambientes, ampliando muito alguns enfoques e escalas. A computação é incrível, as batalhas muito selvagens e bem coreografadas. O excêntrico figurino parece bem real e os armamentos também. Maquiagem de primeira e como um ótimo bônus o filme tem uma linda fotografia e direção de arte - mesmo que computadorizadas. Visualmente falando, um filme maravilhoso.

A trilha sonora é uma característica à parte. Totalmente oitentista, a fita do protagonista contém clássicos do rock e soam de maneira incrível, mesmo em uma cena de ação. As canções vem como nostálgicas, combinando não apenas com o filme em si, como também nos recordando de bons tempos. Aliás, o que não falta no filme é homenagem aos anos 80, até mesmo com o clássico Footloose sendo mencionado diversas vezes. A própria abertura do filme se passa nesta década - abertura muito emocionante. Com vários embates empolgantes, o filme guarda um final muito emocionante, prepare-se. Guardiões da Galáxia é até então, a melhor e maior surpresa do ano, um filme que poderia ser "sem-pé-nem-cabeça"; mas que acaba mostrando-se com uma força e uma renovação incrível. Se você ainda não fez, corra para o cinema mais próximo e veja este filme imperdível. Guardiões da Galáxia te fará rir muito, como a muito tempo não acontecia. Você irá se encantar com estes novos heróis, que possivelmente entrarão para seus favoritos. Emocione-se com personagens brilhantes e entre na nostalgia que o filme é. Fique até os créditos terminarem, tem uma inesperada cena extra que só quem conhece os quadrinhos ou viveu nos anos 80 reconhecerá. É hilário! Você certamente irá ficar querendo mais, além de ficar ainda mais ansioso pelos demais filmes Marvel que estão por vir. O estúdio está trilhando um caminho invejável. E o mais bacana de tudo é que após a sessão de Guardiões da Galáxia você fica com um sorriso no rosto, uma sensação incrível e muito sedento por mais. E isso meu amigo, é sinal de que você acaba de ver um grande filme, mágico e maravilhoso.




Eu após o filme, com a mesma alegria de uma criança que acaba de ganhar algo que queria à muito tempo.





Direção: James Gunn


Elenco: Zoe Saldana, Karen Gillan, Chris Pratt, Benicio Del Toro, Lee Pace, John C. Reilly, Michael Rooker, Dave Bautista, Djimon Hounsou, Glenn Close, Peter Serafinowicz, Ophelia Lovibond, Melia Kreiling, Enzo Cilenti.


Sinopse: 'Guardiões da Galáxia', da Marvel; expande o Universo Cinemático Marvel para o cosmo, onde o impetuoso aventureiro Peter Quill se vê como objeto de uma caçada implacável após roubar uma misteriosa esfera cobiçada por Ronan, um vilão poderoso com ambição que ameaça todo o universo. Para fugir do determinado Ronan, Quill é forçado a fazer uma complicada aliança com um quarteto de desajustados — Rocket, um guaxinim atirador, Groot, uma árvore mutante humanoide, a mortal e enigmática Gamora e o vingador Drax, o Destruidor. Mas quando Quill descobre o verdadeiro poder da esfera e o perigo que ela representa para o cosmo, ele deve fazer seu melhor para reunir seu grupo desorganizado para uma última e desesperada resistência — com o destino da galáxia em jogo.


                                  Trailer:



                   Cartazes retrô e oitentistas (alguns de fãs) do filme:







                 Mais fotos e cartazes do filme:












  





































































                O filme é mesmo imperdível!








Deixe seu comentário:


O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...