"O Último Hurrah"- Obra política do Mestre John Ford


No próximo domingo, dia 5, os brasileiros vão as urnas para escolherem seus representantes, e inspirado nas eleições, a presente matéria faz uma retrospectiva de uma das obras mais fascinantes do diretor John Ford (1895-1973).


Trata-se de O Último Hurrah(The Last Hurrah), de 1958. Spencer Tracy (1900-1967) nos brinda com uma de suas atuações mais brilhantes, na pele de Frank Skeffington, um veterano político que se candidata a prefeito de uma pequena cidade, o único político que é verdadeiramente capaz de manipular os poderosos para defender os oprimidos e os menos favorecidos.


Durante sua última e tétrica campanha para prefeito, representantes dos meios financeiros da Igreja e da imprensa aliam forças para enfrentar seus métodos (que nem sempre são lícitos), que já lhe valeram várias reeleições. Certamente, uma obra fordiana pouco lembrada em relação aos demais trabalhos do diretor, mas ainda assim, uma história intimista, lírica, bem humorada, sentimental e generosa, bem aos moldes e requintes do Mestre John Ford...John Ford...JOHN FORD.





Por PAULO TELLES
Blog Filmes Antigos Club
http://www.articlesfilmesantigosclub.blogspot.com.br/

John Ford (1895-1973) é considerado por grande parte do público cinéfilo como o mestre dos Westerns e de sua parceria com seu compadre John Wayne (1907-1979), com quem se associou em diversas produções da História da Sétima Arte, como sua trilogia da Cavalaria americana: Sangue de Heróis (Fort Apache, 1948); Legião Invencível(She Wore a Yellow Ribbon, 1949); Rio Bravo(Rio Grande, 1950), e o hiper clássico Rastros de Ódio (The Searchers, 1956), considerado não somente um dos dez maiores westerns de todos os tempos como também um dos 50 filmes mais badalados de acordo com os críticos americanos.


Entretanto, este grande mestre da cinematografia mundial não realizou apenas westerns. Ao longo de sua carreira, que se iniciou desde os primórdios quando o cinema ainda era mudo, ele realizou também comédias, épicos, aventuras, e dramas. É sobre um destes dramas que este artigo vai abordar, um drama político (as vezes com pontas de humor) pelo qual considero, de certa forma, superior a Cidadão Kane de Orson Welles, não menosprezando evidentemente este grande alicerce do cinema.

Trata-se de O Último Hurrah (The Last Hurrah), produzido em 1958. O romance, publicado em 1956 e escrito por Edwin O'Connor (1918-1968) é considerado a mais popular das obras de O'Connor, em parte devido a produção do filme homônimo. A novela foi de imediato um best-seller nos Estados Unidos por 20 semanas, e também nas listas de mais vendidos daquele ano. The Last Hurrah ganhou o Prêmio Atlântico, e foi destacado pelo Book-of-the- Month Club e Reader's Digest, além de receber resenhas críticas muito positivas, incluindo um ''êxtase'' do New York Times Book Review. Não demorou muito para o lendário cineasta Ford, que leu o romance, projetá-lo para as telas. Para isto, a Colúmbia Pictures comprou os direitos do livro.


De origem irlandesa e fiel ao espírito dos imigrantes pioneiros, Ford se identificou com a figura do protagonista da trama, tanto que propôs a Colúmbia dirigir este filme mesmo sem receber salário.


A trama centra-se numa eleição para prefeito em uma pequena cidade de Bostom, EUA. O veterano político irlandês do Partido Democrata Frank Skeffington, interpretado pelo magistral Spencer Tracy (1900-1967), amigo de Ford, é um dos candidatos a prefeito desta cidade. Como um ex-governador, ele é normalmente chamado pelo título honorífico "Governador".



Paulo Telles

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...