Crítica: Cooties - A Epidemia (2015, de Jonathan Milott e Cary Murnion)


Depois da excelente experiência que tive com Apocalipse, resolvi dar mais chances a outras produções envolvendo zumbis, então fiz uma maratona de filmes com esse tema, o resultado será apresentado nas críticas. Então vamos falar sobre esse Cooties - A Epidemia, lançado esse ano nos Estados Unidos, sendo provavelmente lançado no Brasil direto em DVD.

Na história acompanhamos um vírus misterioso que atinge uma escola primária da pequena cidade de 'Fort Chicken' e acaba infectando uma das crianças, sendo esta transformada em uma criatura feroz e violenta, logo o vírus se espalha entre as crianças que começam a atacar os professores. No caos, os professores se unem, liderados por um substituto infeliz que cresceu na cidade, eles percebem que deverão fazer o impensável, se quiserem sobreviver.



A primeira metade do filme é muito bem conduzida pelos diretores, somos apresentados aos personagens, que são bem caricatos, porém de um jeito mais escrachado e forçado, que acaba gerando a simpatia do público com os mesmos e rendendo várias cenas engraçadas. Dentre os personagens, destacam 'Wade', interpretado por Rainn Wilson (Juno) que é de longe um dos melhores personagens, com o seu jeito 'machão de ser' e 'Doug', interpretado por Leigh Whannell (Jogos Mortais), que apresenta o personagem mais estranho e doido porém, não menos engraçado. O restante do elenco é formado por Elijah Wood (o eterno 'Frodo' de Senhor dos Anéis), Alison Pill (Scott Pilgrim - Contra o Mundo), Jorge Garcia (Lost), Jack McBrayer e Nasim Pedrad, que estão bons no seus respectivos papéis mas, não se destacam como os acima mencionados.

O que muitos filmes de zumbis deixam a desejar é o fato de não ser explicado a origem dos vírus, como esse surgiu e como ele se espalhou. Aqui, na abertura do longa já nos é mostrado o início da infecção e como ela é passada adiante, com uma cena bem original e nojenta (nunca mais vou olhar um nugget do mesmo jeito). O filme acerta nos diálogos e nas piadas, que são bem ácidas e engraçadas, assim como nas cenas de gore, que estão bem nojentas e sangrentas, além de ter excelentes efeitos de maquiagem, fazendo dessa produção um bom exemplo do subgênero 'terrir'.



Um detalhe que mais me chamou a atenção no roteiro foi a mitologia criada em torno do vírus, eu não vou explicar como funciona pois, estaria entregando spoilers mas, uma coisa eu posso dizer, a explicação é simplesmente louca, porém, muito inteligente e original. Muitos podem ficar com o pé atrás, com o fato de haver mortes de crianças porém, nenhuma delas, exceto a excelente cena do final, impressionam pois, como já foi falado, o roteiro mistura comédia com terror, não existindo nenhuma carga dramática no filme, além do fato de as crianças mais ou menos destacadas serem uns 'demônios' de chatas.

Apesar de vários acertos, o filme falha em alguns pontos, principalmente na metade para o final, onde o roteiro perde a mão e deixa várias oportunidades de cenas que poderiam ser melhores trabalhadas de lado mas, recupera o fôlego em sua conclusão, apresentando um terceiro ato ágil.



Talvez o que vá decepcionar a grande maioria do público, inclusive foi algo que não gostei muito, é grande quantidade de personagens que permanecem vivos até o final, o roteiro poderia muito bem ter eliminado alguns deles e ter investido mais em cenas de mortes, que foram bem poucas para um filme de zumbis. Também acho que o personagem 'Rick', interpretado por Jorge Garcia, deveria ter recebido mais destaque, porém o mesmo acabou ficando deslocado do elenco principal e desperdiçado no filme.

Entre pontos positivos e negativos, Cooties, poderia ter sido muito melhor mas, e acabou perdendo várias oportunidade de se tornar um clássico, com um roteiro de altos e baixos, com poucas mortes, mas, com bons diálogos e piadas ácidas, boas cenas de gore e personagens engraçados o filme se destaca e serve com um bom entretenimento.


Título Original: Cooties

Direção: Jonathan Milott e Cary Murnion
Elenco: Elijah Wood, Rainn Wilson, Alison Pill, Jack McBrayer, Leigh Whannell, Nasim Pedrad, Ian Brennan, Jorge Garcia, Cooper Noth.

TRAILER:


Jackson Willian

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...