Crítica: Orgulho e Preconceito e Zumbis (2016, de Burr Steers)



'Orgulho e Preconceito' é uma das mais importantes obras da literatura inglesa e mundial, escrito pela talentosa Jane Austen. Já foi adaptado diversas vezes em romances do cinema e da TV. A adaptação mais marcante é o bom filme de 2005 estrelado pela Keira Knightley (de 'Piratas do Caribe'). Assim o também escritor Seth Grahame Smith reescreveu a história mantendo personagens, diálogos e acontecimentos, porém adicionando um elemento louco: apocalipse zumbi. Esta artimanha trash e de humor negro é algo ousado, que merece atenção pela coragem do escritor. Vale lembrar que este é o mesmo cara que pegou um presidente americano e transformou em herói em 'Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros'. Aqui ele novamente mistura elementos históricos com seres do terror. Nesta onda de sucesso do seriado 'The Walking Dead' e de demais produções sobre zumbis, não demoraria que este ganhasse um filme.


'Orgulho e Preconceito e Zumbis' já é um dos fracassos do ano, com bilheteria bem fraca e abaixo do esperado, após um certo marketing que recebeu. E apesar da ideia inicial ser boa, este fracasso se deve ao fato do filme não ter um estilo e gênero específico. Não sou de "mimimi" e odiar um filme de cara só porque este critica uma respeitada obra literária. O humor está aí para ser irreverente e sem censura. Por isso colocar zumbis no meio de burgueses ingleses de época seria interessante. Os personagens e suas características, algumas cenas e até mesmo alguns diálogos são mantidos do texto original de Jane Austin. É irônico e interessante acompanharmos a trama novelesca de época da família da protagonista e seus romances, enquanto o mundo é tomado pelos comedores de cérebro. Neste quesito o roteiro joga a favor, com momentos sutis de humor negro, um filme bobo que até certo ponto não se leva a sério.



As atuações estão razoáveis, com destaque para Lily James (a 'Cinderela' do ano passado) e para Sam Riley (que tem timing para papéis deste tipo). O restante do elenco está ok, com uma participação de Lena Headey (de 'Game of Thrones'). Os problemas começam com uma direção burocrática demais de Burr Steers. Não há nenhum momento marcante, nenhum ângulo de câmera ousado. Nem visualmente falando o filme se destaca. Ele tem certo orçamento, mas nada que chame a atenção suficiente. Falta ação, falta energia ao filme. Falta terror, não há mortes ou gore que chamem atenção dos fãs do gênero. Falta romance ou drama suficiente para o casal emplacar e para nos importarmos com eles. Falta comédia, piadas de humor negro, não servindo assim nem como trash. E justamente a melhor jogada do diretor seria fazer deste um filme trash. E para completar temos o típico final em aberto, deixando pontas para continuações e se tornar uma saga. Bem, neste quesito possivelmente não veremos continuações devido ao fracasso de bilheteria.

'Orgulho e Preconceito e Zumbis' é aquele tipo de filme que tinha um enorme potencial. A protagonista é boa, há alguns bons elementos interessantes, como garotas sendo treinadas e escondendo punhais em seus espartilhos, os diálogos típicos da época e alguns costumes de etiqueta, tudo diante os zumbis rendem momentos de humor negro. Potencial havia ali. Mas em algum momento da produção a equipe se acomodou e fez um filme simples e banal demais, perdendo a chance de fazer algo hilário. Uma pena, um longa que não ficará entre os piores do ano, mas tampouco ganhará maires reconhecimentos. 

NOTA: 5



Direção: Burr Steers

Elenco: Lily James, Lena Headey, Sam Riley, Charles Dance, Jack Huston, Matt Smith, Douglas Booth, Bella Heathcote.


Sinopse: um surto de zumbis se abateu sobre a Terra nesta releitura do conto clássico de Jane Austen que trata das relações e enlaces amorosos entre amantes de diferentes classes sociais na Inglaterra do século XIX. A resoluta heroína Elizabeth Bennet (Lily James) é mestre em armas e artes marciais; e o belo Mr. Darcy (Sam Riley) é um feroz assassino de zumbis e símbolo máximo do preconceito inerente às classes superiores. Mas à medida que o surto zumbi se intensifica, os dois devem deixar o orgulho de lado e unir forças no campo de batalha encharcado de sangue, a fim de acabar com o exército morto-vivo de uma vez por todas.


Trailer:





Imagens do filme:

















Deixe seu comentário: 


O Vigilante da Noite

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...