Crítica: Jekyll & Hyde (2015, de Stewart Svaasand, Colin Teague, Joss Agnew, Robert Quinn)



Lançada há alguns meses atrás no canal britânico ITV, a série ‘Jekyll & Hyde’ traz uma história que já foi levada para as telas inúmeras vezes e virou série de TV. Os diretores apostaram alto em recriá-la para um seriado com apenas 10 episódios de 40 a 45 minutos e olha, eles acertaram, porque o resultado foi muito bom!


Posso afirmar que a série é um tanto peculiar, por conta da maioria dos atores ali presentes serem rostos pouco conhecidos, embora aqueles com boa memória lembrem que alguns ali já fizeram filmes clássicos. Para quem conhece bem a história, sabe que nenhuma das obras já feitas pelos estúdios de Hollywood foi capaz de ser 100% igual ao livro, exceto o primeiro filme de 1931, que era preto e branco e tinha os efeitos especiais mais toscos, conseguiu seguir a linha original. O resto sempre se esqueceu disto, mudou isto, adicionou aquilo. Enfim, normal. Ambientada na antiga Londres, em 1930, ela tem uma bela fotografia, além do figurino, composto por roupas exóticas, que destacam os costumes locais. O idioma falado é um inglês britânico e pode até ser um pouco mais fácil de compreender, pois as palavras são pronunciadas de maneira rápida, mas clara.


Desde o piloto, somos apresentados ao Dr. Robert Jekyll, que acredita que a alma do ser humano é formada por 2 lados, um bom e um ruim. A fim de mudar isso, ele inventa uma poção em laboratório formada por substâncias misteriosas e aplica-a em cobaias, porém todos os resultados falham. Então, quase desistindo, Robert decide ingerir a fórmula para descobrir se realmente é impossível concluir o que tanto queria. Ao bebê-la, ele dá de cara com seu lado sombrio, o macabro Mr. Hyde, que faz de tudo para tomar seu lugar no corpo de Robert, algo que se cedido por ele, destruirá não somente a si mesmo, mas a todos a sua volta. É bom citar que aqui, os produtores alteraram um pouco a história, que nesse caso mostra o jovem Robert com uma maldição que carrega há anos. Vindo de uma família adotiva, ele é bem instruído, porém deseja procurar por respostas sobre a origem de sua família. É aí que descobre sobre o Dr. Jekyll, seu avô, que pode levá-lo para mais perto do que ele imagina.


Um fato das séries: ao término de um episódio, não é de se surpreender que eles deixem as melhores cenas nos últimos minutos. Isso faz com que você veja mais um, depois só mais um e quando você percebe já terminou todos os episódios do seriado e não sabe o que fazer da vida. Será que só eu passei por isso ou mais alguém?


Quanto aos defeitos, claro que sempre existirão. Não importa o quão alta seja a audiência que o seriado está tendo ou bombástico seja o sucesso que o filme esteja se tornando, toda vez haverá alguma coisa que saiu errado. Como diz o ditado: “Já não se fazem mais filmes como antigamente”, modificando ‘Filmes’ por ‘Séries’. Percebem que ultimamente existe uma pilha de filmes que estão prestes a ser tornarem séries de TV? Tais exemplos são: ‘Busca Implacável’, ‘O Exorcista’, ‘Wolf Creek – Viagem ao Inferno’, entre muitos outros.


Recomendo para quem esteja com tempo livre para fazer uma maratona, uma boa opção para o feriado. Sou suspeito em escrever sobre este conto ‘O Médico e o Monstro’, de Robert Louis Stevenson, porque curto a história há muito tempo atrás, desde que ouvi essa em uma música do Petra, fui pesquisar e acabei achando a trama interessante, a ponto de ver todos os filmes adaptados para as telonas, desde o mais antigo (1931), que era preto e branco, até o mais recente (2002). E olha que na página do IMDB já estão disponíveis detalhes de que a obra ganhará a versão mais fiel do livro, com data prevista para lançamento ano que vem. Com certeza não deixarei de conferir!

Nota: 8


Sinopse: Em Londres, na década de 1930, o jovem Robert Jekyll decide ir atrás da resposta para uma maldição que ele carrega a anos. Vindo de uma família adotiva, ele é um jovem bem instruído, mas sente uma a necessidade de saber sobre a origem de sua família de sangue. Até que descobre sobre o Dr. Jekyll, seu avó, que pode levá-lo mais perto do que ele procura.

Trailer:

Mais algumas imagens da série:




















Já conferiu? Deixe em seu comentário!




Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...