Crítica: O Segredo dos Seus Olhos (2009, Juan José Campanella)





‘O Segredo dos Seus olhos’ é um filme sofisticado, cheio de paixão, amor e obsessão. A paixão é o ponto forte desse filme, é mostrada de forma tímida no começo, como uma brincadeira ou um sonho e aos poucos vai se tornando algo grande e imutável. Tudo passa, tudo muda, menos a paixão. Podendo ser algo bom e em outros casos, algo ruim, destruindo nossa vida, a tornando vazia e precisamos disso para poder seguir em frente, sendo felizes ou não com essa decisão.  

O filme começa com o estupro e assassinato da bela Liliana Colotto (Carla Quevedo), um crime brutal, que é investigado pelo oficial de justiça Benjamín Espósito (Ricardo Darín), que no primeiro momento, não quer o caso, mas ao pisar na cena do crime, tudo muda. Poderia ser um roteiro comum, onde a polícia procura o misterioso assassino e ponto.  Mas aqui, vemos duas versões dos fatos, o passado onde ocorreu o crime e o presente após 25 anos dos acontecimentos, mostrando o que as escolhas na vida dos personagens acarretaram a eles.


A maior parte da história se passa nos tribunais, segurando a atenção do público para o que está por vir na investigação, com personagens carismáticos e comprometidos em descobrir a verdade. A ligação deles com o caso começa a se tornar pessoal depois de um tempo. E nós sentimos isso, a necessidade da verdade, de pegar o assassino e ter um ponto final, uma justiça pela vítima.


Mas de certa forma, achar o assassino se transforma em segundo plano no filme, começamos a entrar na mente de Espósito (Ricardo Darín) e nos vemos perdidamente apaixonados por Irene Me­néndez Hastings (Soledad Villa­mil) sua chefe e que está noiva. E toda a frustração que esse amor acarreta a ele. O pesar de não dizer nada mesmo quando tudo já está dito. Detalhes nas conversas que na hora pode parecer insignificante, mas que são fundamentais para o desfecho, a máquina de escrever que não escreve o ‘A’ que acaba por fazer toda a diferença, a dimensão de uma amizade.


Os olhos são como janelas onde toda a verdade se diz, mesmo quando queremos esconder ou mentir. Aqui de certa forma, os olhos conversam. Em várias cenas os temos como coadjuvantes da história, mostrando o que a alma tenta esconder. Descobrimos o assassino, o amor, a obsessão com o passado. ‘O Segredo dos Seus Olhos’ nos faz pensar sobre a vida. Sobre o que fazemos com as escolhas que temos, onde escolhemos deixar passar o grande amor ou conviver com isso para sempre, como uma voz que nunca se cala na mente. Você pode tentar esquecer, ignorar e até fingir, mas nunca a calará. Não se pode enganar a si próprio.


Para finalizar deixo aqui uma frase dita por Irene (Soledad Villamil) “Como se faz para viver uma vida vazia? Como se faz para viver uma vida cheia de nada?”


Nota: 9,0

Direção: Juan José Campanella.

Elenco: Ricardo DarínSoledad VillamilGuillermo FrancellaPablo RagoJavier GodinoCarla Quevedo.

Sinopse:Benjamin Esposito (Ricardo Darín) se aposentou recentemente do cargo de oficial de justiça de um tribunal penal. Com bastante tempo livre, ele agora se dedica a escrever um livro. Benjamin usa sua experiência para contar uma história trágica, a qual foi testemunha em 1974. Na época o Departamento de Justiça onde trabalhava foi designado para investigar o estupro e consequente assassinato de uma bela jovem. É desta forma que Benjamin conhece Ricardo Morales (Pablo Rago), marido da falecida, a quem promete ajudar a encontrar o culpado. Para tanto ele conta com a ajuda de Pablo Sandoval (Guillermo Francella), seu grande amigo, e com Irene Menéndez Hastings (Soledad Villamil), sua chefe imediata, por quem nutre uma paixão secreta.

Trailer:


Mais algumas imagens do filme:




Gostou? Deixe um comentário ;)

Escrito por Natália.


Natália Vieira

Gosto de filmes e sou viciada em séries e música boa. Não tem muito o que dizer depois disso.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...