Crítica: Salt (2010, de Phillip Noyce)


Lançado há exatos seis anos atrás, a estrela Angelina Jolie, conhecida por seus trabalhos voluntários ao redor do mundo, voltou a trabalhar com Phillip Noyce, diretor do incrível 'O Colecionador de Ossos'. Sua personagem em Salt é fantástica e certamente irá agradar tanto o público-alvo como quem não é.


A trama acompanha Evelyn Salt, mulher cujo passado foi conturbado, devido ao fato de ter sido encontrada, capturada e torturada por coreanos, que a acusavam ser uma espiã criminosa. Seu marido consegue sua soltura a todo custo e lhe promete a chance de uma vida melhor. Após fazer um juramento à bandeira dos Estados Unidos, Evelyn vive uma nova vida e trabalha para a CIA. Tudo vai bem até que certo dia, na saída do trabalho, Evelyn é chamada para entrevistar um desertor de última hora e fazer o que sabe de melhor. A partir saí, segredos são revelados e a história começa a tomar o rumo certo. Salt conseguiu manter seu disfarce durante anos, porém não é quem diz ser.


Angelina está sublime, sua atuação é maravilhosa, diria que este é um de seus melhores papéis. O restante dos atores coadjuvantes, Liev Schreiber e Chiwetel Ejiofor também mandaram muito bem atuando como os colegas da CIA que a caçam a todo custo após a chocante revelação. O roteiro também está de parabéns, não percebi que houve tantas falhas como muitos ultimamente apresentam; claro que existe um "facão" aqui, outro lá, mas isso todo filme tem, francamente, nenhum consegue ser 100% perfeito do início ao fim. Irônico foi o fato de a terem comparado como os agentes ‘Jason Bourne’ e ‘James Bond’; não tem como comparar, ponto. Outro destaque é a trilha sonora, feita pelo excelente James Newton Howard; suas faixas espetaculares e combinaram perfeitamente com o ambiente e cenas que o filme apresenta.


Com relação à história, ela foi genial! Com muita ação e adrenalina, ela não é complicada e o espectador fica ligado a maior parte do tempo. Bem como seu desenrolar não perde muito o foco (a duração é de 1 hora e 40 minutos), o final me deixou muito ansioso. Ele acontece te deixando curioso em saber o que vem a seguir. Não digo aqui que o desfecho foi inconclusivo, porque sim, tem muita coisa a acontecer no próximo filme e espero que caprichem na continuação. Outrossim, concluo deixando minha dica para um bom filme de ação inteligente que vai te envolver, te deixar grudado no sofá e quase não te fazer piscar! Sim, comemorem os fãs! A sequência já foi confirmada para 2019 
e por enquanto somente a Angelina já está no elenco, falta definir o diretor. 
Espero que em breve Phillip Noyce confirme a direção, pois quando o mesmo diretor dirige os filmes da mesma franquia várias vezes é que realmente vale a pena, concordam? Raro é ver como faltam franquias que um único diretor tenha comandado vários filmes.



Nota: 10

Direção: Phillip Noyce

Elenco: Angelina Jolie, Liev Schreiber, Chiwetel Ejiofor, Daniel Olbrychski, August Diehl, Daniel Pearce, Hunt Block, Olek Krupa, Corey Stoll, Gaius Charles, Andre Braugher, Victoria Cartagena, Vladislav Koulikov, Olya Zueva.

Sinopse: Salt é um moderno suspense de espionagem. Antes de se tornar agente da CIA, Evelyn Salt prestou juramento de servir e honrar o seu país. Ela colocará o seu juramento em prática, quando um desertor russo a acusa de ser uma espiã russa. Salt foge, usando todas as sua habilidades e anos de experiência como agente infiltrada para conseguir escapar dos seus inimigos, proteger o seu marido e fugir dos seus colegas da CIA.


Trailer:

Mais algumas imagens do filme:







Já conferiu? Deixe em seu comentário que achou!

Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...