Crítica: Águas Rasas (2016, de Jaume Collet-Serra)


Jaume Collet-Serra é um dos meus diretores favoritos. Não é pra menos; após dirigir 'A Casa de Cera', 'A Órfã', 'Desconhecido' e 'Sem Escalas', ele nos brinda com seu mais novo trabalho, 'Águas Rasas'. O filme veio com a promessa de ser um dos melhores filmes de tubarão dos últimos tempos e ao meu ver, conseguiu! Por incrível que pareça ele teve uma boa recepção pela imprensa, apesar da certa "economia de atores", acho que isso não foi motivo para ser considerado ruim. Afinal de contas, o mesmo aconteceu com o ótimo '127 Horas', de Danny Boyle. O clima nostálgico do clássico 'Tubarão', de Steven Spielberg com certeza passa por nós quando as barbatanas, acompanhadas pela trilha sonora, surgem em cena e nos fazem roer a unha de tanta ansiedade.



Pois bem, temos aqui a diva Black Lively interpretando Nancy, jovem que, seguindo os conselhos de sua mãe, resolve partir em busca de um paraíso secreto, cujas histórias ela sempre ouviu quando era criança. Desde o início, vemos como foi difícil para ela encontrar a praia quando está no meio da selva (essa cena é cômica, diga-se de passagem). Com relação ao cenário, é um show à parte! As locações nos encantam de tão maravilhosas! Porém, achei uma injustiça eles terem mantido o nome do local em sigilo o filme todo. Quando chega ao lugar, Nancy logo pega ondas gigantes e conhece outros dois surfistas. De repente, percebe que não está sozinha; há algo nas profundezas que está prestes à persegui-la. Quando ela se vê presa nas rochas cercada por um tubarão, Nancy entra em profundo estado de desespero e o "jogo entre gato e rato" começa!


Sobre o roteiro, afirmo que foi muito bem realizado. Primeiro, segundo e terceiro atos (começo, meio e fim) foram satisfatórios! Porém, óbvio que algumas situações ali são boas demais pra ser verdade, tais como: ela conseguir acessar a internet tranquilamente naquelas localizações. Furo estranho, né? Enfim, com cerca de 1 hora e meia de duração, o telespectador nem vê a hora passar de tão concentrado. Nossa, fiquei perplexo da metade para o final! As táticas que ela planeja contra o tubarão foram o ponto forte do filme! Um dos aspectos positivos que mais curti na trama. No entanto, ressalto que algumas das cenas foram bem tensas para a classificação que recebeu.


No geral, o longa me surpreendeu bastante. O diretor merece palmas pela excelente produção! Em determinada cena, eu até cheguei a me colocar no lugar da personagem, imaginando o que faria na situação dela. Tenso. Sem dúvidas todo o sentimento de agonia é transmitido ao telespectador. Portanto, recomendo não somente para apreciadores do gênero, mas para todos os públicos! Será com certeza o filme sensação do momento...rs


Nota: 8,5

Direção: Jaume Collet-Serra

Elenco: Blake Lively, Brett Cullen, Óscar Jaenada, Sedona Legge, Janelle Bailey, Angelo Jose, Lozano Corso, Jose Manual, Trujillo Sallas, Pablo Calva, Diego Espejel, Ava Dean.


Trailer:

Mais imagens do filme:







E aí, gostou? Alguma sugestão? Deixe o seu comentário!

Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...