Crítica: Amizade Mortal (2014, de Doug Campbell)


Dirigido por Doug Campbell, o drama ‘Amizade Mortal’ (2014) nos apresenta a uma trágica história envolvendo um grupo de adolescentes colegiais norte americanas.
De início, conhecemos duas das três personagens principais: Sara (Lexi Ainsworth), uma doce e estudiosa jovem de família bem estruturada, e Jade (Brittany Underwood), sua melhor amiga, de personalidade forte e deveras rebelde, vinda de uma família já não tão estruturada assim. A rotina e a próxima amizade das duas adolescentes mudam, para pior, quando uma terceira garota entra para o grupo: a misteriosa – até demais – Ashley (Tina Ivlev). Como conseqüência da chegada da nova amiga, o ciúmes, os desentendimentos e a rivalidade entre as três amigas ocasionam um chocante ato de violência que causa a morte de umas delas. 

Cinematograficamente falando, é possível afirmar que ‘Amizade Mortal’ é a típica produção norte americana feita para a televisão, com aspectos e características sutilmente amadoras – baixo orçamento? - e objetivos, sobretudo, didáticos. Nota-se claramente que não há grande preocupação do diretor em deixar claro para o espectador o “por que” dos fatos ocorridos – as coisas simplesmente acontecem. Além disso, a trilha sonora não trás nada de especial e os personagens são rasos e não tão bem aproveitados ou desenvolvidos pela direção.

Ashley, Jade e Sara


No entanto, o drama chama atenção por um detalhe em especial. A história por trás de ‘Amizade Mortal’ é baseada em um crime real ocorrido nos Estados Unidos: em 2012, a adolescente de 16 anos Skylar Neese simplesmente desapareceu de casa sem deixar grandes vestígios, abandonando misteriosamente seus pais, o trabalho de meio expediente, a escola e as duas melhores amigas de infância, Shelia Eddy e Rachel Shoaf.  

Meses e meses se passaram após o desaparecimento da adolescente, provocando comoção geral na cidade onde as garotas moravam. Todavia, após longa investigação, a polícia local descobriu que Skyler havia sido brutalmente esfaqueada até a morte, e que  os – no caso “as” – culpadas pelo assassinato da garota eram justamente Shelia e Rachel, suas duas melhores amigas. O motivo? “Não queríamos mais ser amigas dela”, afirmaram as jovens.


(esq) Skylar Neese + Skylar, Shelia Eddy e Rachel Shoaf 

Curiosamente, a não ser pelo cartaz, o espectador não é avisado da veracidade por trás dos fatos antes ou sequer depois do filme, como de costume entre os longas baseados em fatos reais. Sendo assim, após tomar conhecimento de que o drama é baseado em um crime verídico, é possível chegar a duas conclusões: a verdadeira história é bem, bem mais complexa e complicada do que a mostrada no filme. Sendo assim, ‘Amizade Mortal’, se dirigido de modo fiel ao crime original e, talvez, por um diretor que conseguisse captar e melhor trabalhar a tal complexidade dos fatos, poderia ter sido um grande filme! 

Nota: 6/10 

Título Original: Death Clique

Direção: Doug Campbell

Elenco: Barbara Alyn Woods, Tina Ivlev, Lexi Ainsworth


Trailer: 



Deixe seu comentário!: 


Mariana Portela

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...