Crítica: A Onda (2015, de Roar Uthaug)





Se olharmos para as produções de catástrofes lançadas ao longo dos anos, percebemos que na grande maioria dos casos há um padrão no qual esses filmes se baseiam. Sempre temos aquela família onde o drama é todo concentrado, geralmente com um casal em crise e dois filhos que servem só para irritar. Há também o núcleo dos especialistas no assunto que nunca conseguem prever a tempo o desastre em questão, até que chega o evento que destrói tudo e todos, seja na forma de terremotos, tsunamis, tempestades, enchentes, vulcões, avalanches e por aí vai... Geralmente presenciamos o caos na perspectiva dos especialistas, da família central e de alguns outros sobreviventes que só servem para morrer. Me atrevo a dizer que desses filmes recentes 'O Impossível' é o que mais se destaca por ser dramático e intenso ao extremo. Mas, no final das contas nunca podemos esperar demais de filmes-catástrofes. 


Queria poder dizer que 'A Onda' (Bolgen) é uma produção diferente que faz uma abordagem nova ou algo que a destaca no subgênero mas, definitivamente isso não acontece aqui. Entretanto, não significa que ele seja ruim, bem longe disso, na verdade, o considero melhor que muitas produções de Hollywood e só pelo fato de não haver o patriotismo exacerbado americano já é um grande ponto positivo.

A produção também já chama a atenção por não se passar no típico cenário americano a lá Nova York e Los Angeles. Aqui somos levados a Noruega na pequena cidade de Geiranger, um dos pontos turísticos mais espetaculares da região, mas também um local propicio a cataclismos, principalmente por ser o local onde fica o Fiorde de Geiranger um terreno instável que a qualquer momento pode desabar. De um modo geral ele me lembrou muito o clássico da sessão da tarde 'O Inferno de Dante'. 


A trama se desenrola da mesma maneira que diversos outros filmes similares, somos inicialmente apresentados ao geólogo Kristian (Kristoffer Joner) e sua família que estão prestes a mudar de cidade, porém antes que isso ocorra Kristian começa a desconfiar de que algo ruim possa estar acontecendo, então resolve ficar por mais um dia para descobrir o que pode ser. A partir daí temos todo aquele plot de ninguém acreditar nele até que o desastre aconteça. Com relação aos personagens não há muito o que se falar, como em todo filme do tema, temos aqueles idiotas que servem para fazer burrada e morrer e aqueles que não importa o que aconteça sairão vivos. Já na questão das atuações, todas estão muito boas e bem acima da média.

Apesar de uma premissa batida 'A Onda' é um bom filme e consegue passar toda a tensão e sofrimento de um desastre dessa magnitude. Os efeitos especiais estão incrivelmente ótimos, os cenários pós-destruição também estão incríveis deixando tudo mais real e triste, a onda em questão também está perfeita principalmente por se tratar de um produção de baixo orçamento. O longa acaba acertando por investir em situações claustrofóbicas e apreensivas, deixando o público tenso e curioso para saber como as coisas vão acabar. Destaco as sequências no porão do hotel e a cena do carro. Como nem tudo são flores há também aqueles problemas em que determinados personagens saem ilesos de situações improváveis e que desafiam a lógica mas, são nesses casos que devemos desligar o cérebro e aproveitar.


O diretor Roar Uthaug já havia chamado a atenção com o ótimo 'Presos no Gelo' e aqui ele faz um trabalho igualmente bom. Ele soube trabalhar com pouco orçamento e entregou um filme com uma ótima qualidade técnica e visualmente incrível, principalmente pelas belas paisagens norueguesas. Já estou aguardando ansioso seu próximo trabalho, o reboot de 'Tomb Raider' que chega nos cinemas em 2017.

No geral, 'A Onda' cumpre o que promete, é um filme bem feito, com uma qualidade superior a várias produções americanas, ele acerta em vários aspectos. Seu maior erro pode ter sido não inovar e ousar mas, isso não tira o mérito de ser um ótimo entretenimento. Está mais do  que recomendado.




Nota: 7,5




Título Original: Bolgen / The Wave

Direção: Roar Uthaug

Elenco:Kristoffer Joner, Ane Dahi Torp, Jonas Hoff Oftebro, Edith Haagenrud-Sande, Fridtjov Saheim, Laila Goody, Arthur Berning, Herman Bernhoft, Eili Harboe, Silje Breivik, Hakon Moe, Tyra Holmen, Thomas Bo Larsen, Mette Agnete Horn.



Trailer:













Gostou? Não Gostou ou tem alguma sugestão? Deixe seu comentário!!!

Jackson Willian

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...