Crítica: Truque de Mestre: O Segundo Ato (2016, de Jon M. Chu)


Com um elenco cheio de estrelas e apostando fortemente nos efeitos visuais nas cenas de mágica, 'Truque de Mestre: O Segundo Ato' traz a continuação de 'Truque de Mestre' (2013, de Louis Leterrier). Ideal para quem procura um filme pipoca com qualidade e que tem capacidade de prender o espectador, o filme conta a história de um grupo de mágicos que também formam um grupo de "justiceiros" no estilo Robin Hood. O foco da trama desta vez é a organização que coordena esse grupo e na busca por respostas sobre acontecimentos passados.

Em meio a estreia de muitos filmes de super-heróis, é bom ver nos cinemas também filmes que fogem deste padrão mas que oferecem uma proposta semelhante: uma boa história que traz bons momentos de diversão. Nesse sentido, 'Truque de Mestre: O Segundo Ato' cumpre o que promete: é um filme bem feito, com bons efeitos visuais, boas atuações, e embora seja previsível, diverte o espectador.





O filme começa explicando as origens de Dylan Rhodes (Mark Ruffalo, sempre impecável), e acaba fazendo uma ligação da sua história com a de Thaddeus Bradley (Morgan Freeman). Fica claro que há uma questão mal resolvida e o trauma da morte do pai ainda é muito presente para Dylan. Nos dias atuais, vemos Daniel Atlas (Jesse Eisenberg) em busca de respostas sobre a organização que coordena as ações dos cavaleiros: o Olho. Paralelamente, os cavaleiros partem para impedir
Walter (Daniel Radcliffe) de roubar dados pessoais de milhões de pessoas ao redor do mundo.


Nesta jornada, os cavaleiros buscam por justiça enquanto também querem respostas sobre sua própria organização, e acabam sendo vítimas de uma armadilha. Assim, Dylan parte para defender os cavaleiros, colocando em risco seu disfarce no FBI. O grupo então enfrenta seu maior desafio: escapar da armadilha e ao mesmo tempo escapar das garras do FBI novamente.

As cenas de mágica funcionam como as lutas em filmes de super-heróis: são bem produzidas, grandiosas, surpreendentes e de quebra garantem momentos de humor para a trama. Destaque também para a trama paralela de Merritt McKinney (Woody Harrelson), que garante bons momentos. O mesmo não acontece com a trama de Jack Wilder (Dave Franco) e Lola (Lizzy Caplan), que não empolga e não colabora para a história principal. 



 Apesar do final previsível e até um pouco decepcionante, o filme cumpre sua proposta: momentos agradáveis. Os pontos fortes são suas cenas de mágica e o elenco, que tem talento de sobra e química. O grande ponto fraco foi tentar criar uma atmosfera de conspiração que não tem fôlego e é bem previsível. 
Nota: 7,0.

Título original: Truque de Mestre: O Segundo Ato (Now You See Me 2)


Direção: Jon M. Chu

Elenco: Mark Ruffalo, Jesse Eisenberg, Morgan Freeman, Woody Harrelson, Dave Franco, Lizzy Caplan e Michael Caine.

Trailer:


Confira mais algumas imagens do filme:





E você, o que achou do filme? Deixe seu comentário!


Erica Caetano Roos

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...