Crítica: De Volta ao Jogo (2014, de Chad Stahelski, David Leitch)


Lançado no Brasil em novembro de 2014, o longa 'De Volta ao Jogo' traz o astro Keanu Reeves como um implacável assassino de aluguel. Ele arrebentou nas telas, literalmente! Com uma história totalmente inusitada, os diretores Chad Stahelski e David Leitch nos brindam com cenas de ação frenéticas no melhor estilo 'O Protetor', com Denzel Washington e 'Caçada Mortal', com Liam Neeson.


A trama acompanha a vida do imbatível assassino John Wick (Keanu Reeves) que, após se apaixonar por Helen (Bridget Moynahan), sai do ramo da máfia. Porém, 5 anos depois, ela morre por conta de uma doença. John vai ao enterro e recebe as condolências de seu velho amigo, Marcus (Willem Dafoe). Pouco tempo depois, ele recebe uma encomenda em sua porta e ao ler um bilhete também entregue, descobre que para garantir que não fique sozinho no mundo, sua mulher lhe deixou um lindo cachorro da raça Beagle, que logo torna deus dias mais alegres e satisfeitos. Um dia, ele está em um posto de gasolina com um Mustang 1969, até que o russo Iosef Tarasov pergunta quanto quer pelo carro. No entanto, John diz que não está à venda e vai embora. Certa noite, Iosef, que é filho do poderoso gângster Russo, Viggo Taradov (Michael Nyqvist), junto com outros capangas, invadem a sua casa, roubam seu carro e espancam John até deixá-lo insconsciente. Quando se recupera, ele busca vingança contra os que destruíram a única lembrança que tinha da esposa: seu cão. A partir daí, enquanto John se prepara com suas armas mais letais, Viggo tenta proteger Iosef a todo custo e pagará o preço que for preciso.


Como mencionado no início do texto, temos aqui um filme que arrebentou nas telas, no sentido literal, porque olha... que filmaço! Lembro que quando o conferi no cinema, fui sem tantas esperanças, afinal, o trailer tem lá sua fama, porém não foi tão promissor assim. Mas ao ver a fita, nossa, minhas expectativas se superaram! Fui surpreendido com uma trama sensacional e cenas eletrizantes repletas de tiros, explosões e é claro, lutas. Todavia, não obstante, também notei que ele possui alguns pequenos defeitos, mas não na questão do roteiro e sim de alguns atores.


Com relação ao elenco, as performances variam entre ótimas e regulares. A primeira, claro, é do incrível Keanu Reeves, de 'Matrix', 'O Dia em Que a Terra Parou' e 'Demônio de Neon', que com seus 51 anos (não se assustem, o cara não aparenta ser tão velho quanto parece), prova que ainda está em boa forma e leva jeito no cumprimento do ofício. Em seu papel como o temível John Wick, que tem até o apelido de Bicho-papão, ele surpreende a todos com tamanho esforço colocado em cena e não decepciona o espectador nem um pouco. Claro que muitos não acreditaram que um ator de peso como ele teve a coragem de estrelar 'Bata Antes de Entrar', filme de Eli Roth, cujas críticas foram mais negativas do que positivas. O coitado ainda está sendo comparado com Nicolas Cage, que estaria passando por uma suposta decadência em sua carreira, devido a seus últimos filmes que foram fracos de doer, vide 'O Imperador' e 'O Apocalipse'. Mas gente, sejamos sinceros, né? Não convém compará-los, até porque qual ator pode já não ter impressionado o público em um filme e pouco tempo depois cometer o erro que chamamos de atuar em uma "bomba"? Temos também Alfie Allen, conhecido de 'Game of Thrones', que atuou razoavelmente no papel de Iosef Tarasov, sujeito arrogante e mimado, que só porque é filho do chefe da máfia da cidade, acha que pode fazer o que bem entende e que seu pai é capaz de mantê-lo são e salvo; só que não. Ele acaba agindo sem pensar, ao invés de se preocupar com as consequências de seus atos, o que gera as melhores sequências de caça do longa.


Contamos ainda com a presença de John Leguizamo, de 'Fim dos Tempos' e 'Cymbeline', interpretando Aurelio, que apesar da curta participação, tem sua relevância na história e serve de conexão entre os personagens. Além de Mychael Nyqvist, como o cruel Viggo Iosef. Sua performance foi boa, mas suas expressões faciais são praticamente as mesmas das vistas em 'Sem Saída', onde também interpreta o vilão que nunca abre um sorriso, tanto nas partes de diálogos quanto nas de ação. Agora, um ator que deixou a desejar foi Willem Dafoe, de 'Homem-Aranha' e 'Velocidade Máxima 2' e Ian Mc Shane, de 'Caso 39' e 'Piratas do Caribe - Navegando em Àguas Misteriosas'. O desempenho de ambos foi bem regular, em particular o de Dafoe, que me irritou um pouco, principalmente no final; não torci por ele em momento algum onde ele roubava as cenas. Já McShane quase não apareceu e terminou como só mais um coadjuvante. Diria até que seu personagem não passou de "encheção de linguiça" para a fita. Por último, não poderia deixar de falar sobre a bela Adrianne Palicki, de 'Legião' e 'G.I. Joe 2 - Retaliação', incorporando Sra. Perkins, outra assassina profissional com personalidade suspeita; nunca sabemos de que lado ela realmente está. Das demais mulheres mostradas da película, tais como Bridget Moynahan, de 'Eu, Robô' e 'Caçados', como Helen, Bridget Regan, de 'The Last Ship', como Addy, velha amiga de John, Adrianne foi quem teve maior destaque. Ademais, é possível contar com um alívio cômico em algumas cenas, em especial nas que o atendente do Hotel, Charon (Lance Reddick) contracena com Keanu; ali um toque de comédia é adicionado em meio há inúmeros disparos e pancadaria que só.



O roteiro é raso, mas amarrado. Embora simples, consegue segurar a trama e prender o telespectador na poltrona do primeiro ao último minuto. Foi justamente seu diferencial. O primeiro ato pode parecer estranho, mas a fim de não torná-lo confuso, o diretor optou por flashbacks, que, usados na medida certa, felizmente não atrapalharam o desenvolvimento do segundo e terceiro ato. Com relação a trilha sonora, ela está bem trabalhada. As faixas compostas por Tyler Bates, o mesmo que compôs a trilha de 'Suckerpunch - Mundo Surreal' e 'Conan - O Bárbaro' (2011) são cativantes e suas músicas eletrônicas instrumentais dão aquele agito excitante que o filme precisava!


Em síntese, ressalto que 'De Volta ao Jogo' é uma pedida para quem curte um boa ação! Quem aprecia cenas de ação ininterruptas, que não poupam esforços em exibir violência extrema, vai curtir ainda mais. Portanto, vale a pena. Fica a dica para seu fim de semana!



Nota: 8,5

Direção: Chad Stahelski, David Leitch

Elenco: Keanu Reeves, Willem Dafoe, Michael Nyqvist, Adrianne Palicki, Bridget Moynahan, John Leguizamo, Alfie Allen, Omer Barnea, Toby Leonard Moore, Daniel Bernhardt, Dean Winters, Ian McShane, Lance Reddick, Keith Jardine, David Patrick Kelly, Clarke Peters.

Trailer:

Mais imagens do filme:

BÔNUS:

Quem não vê a hora de uma continuação, pode respirar aliviado. A sequência já está sendo filmada e está prevista para estrear em fevereiro do ano que vem!



CITAÇÃO:

– Sabe qual o apelido de John Wick?
– Qual é?
– Bicho-Papão.
– Porque? Ele é um Bicho-Papão?
– Não, meu filho. Porque ele é quem a gente contrata quando queremos matar o Bicho-Papão.





E aí, gostou? Deixe seu comentário!



Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...