Crítica: O Homem nas Trevas (2016, de Fede Alvarez)


Chegou aos cinemas brasileiros o novo longa de Fede Alvarez, que dirigiu o remake de 'A Morte do Demônio'. 'O Homem nas Trevas' promete ser um dos melhores lançamentos do gênero de terror do ano e se a intenção do diretor era assustar o público, pois olha: então conseguiu. Com uma atmosfera absolutamente sombria, o filme possui uma trama básica, mas no decorrer dos acontecimentos (especialmente quando o desfecho vai chegando), o espectador é surpreendido de tal forma que vai ficar de queixo caído.


A história gira em torno de três adolescentes que bolam roubos muito bem planejados e sem grandes riscos. No entanto, quando descobrem que um senhor cego esconde uma pequena fortuna em casa, decidem mudar de estratégia. O problema é que, apesar da casa estar num bairro abandonado de Detroit, o local é uma fortaleza e o homem é um ex-militar altamente treinado. O que era para ser o último crime do grupo torna-se uma luta por suas vidas, pois estão encarcerados na residência de um psicopata cheio de segredos. Com uma trama simples, confesso que pelo que o teaser me mostrou eu esperava um filme tenso, porém não tanto quanto ele foi de verdade. Me surpreendi, gente! Tem muita coisa que o trailer esconde e são exatamente estas incógnitas que vão te deixar boquiaberto. Ficou curioso, não é?



Com relação ao elenco: temos novamente a bela Jane Levy, de ‘Pequeno Problema, Mega Confusão’, interpretando Rocky, garota que passou por muitos problemas familiares recentemente e a situação atual dela não é lá aquela maravilha. Destaco sua incrível performance! Ela conseguiu transmitir todo o sentimento de angústia e desespero que enfrenta ao realizar um simples assalto que acaba se tornando um dos piores eventos já vividos pela mesma. Já Daniel Zovatto, de ‘Corrente do Mal’ faz o papel de Money, namorado de Rocky e jovem cuja vida tem se resumido em aperfeiçoar as habilidades dos atos que pratica; ele não pensa duas vezes ao ficar sabendo que pode faturar uma grana fácil em um assalto cujo morador não enxerga, mas não tem ideia de com quem está se metendo. Sua participação foi plausível e o ator não deixa a desejar, tirando o fato de ser ambicioso e demonstrar um desejo insaciável pelo dinheiro, que acaba definindo a personalidade dele. Já Dylan Minnette, de ‘Goosebumps – Monstros e Arrepios’ faz o papel de Alex, garoto que também não está vivendo seus melhores dias, pois anda se desentendendo com seu pai e junto com seus amigos anda confuso se deve continuar ou desistir. O ator é bem carismático e aqui seu desempenho rende um dos momentos mais tensos da película. Há inclusive um romance implícito entre ele e Rocky, porém Money já o adverte que espera que ele seja um bom menino e não ultrapasse a linha da amizade, senão consequências virão. E é claro que não poderia deixar de citar a interpretação do incrível Stephen Lang, de ‘Avatar’, como o homem cego. O personagem dele é alguém cheio de traumas e mistérios que influenciaram ser quem ele hoje é e todos os seus conceitos e motivações são bem explicitados ao longo do filme. Temos ainda mais alguns atores coadjuvantes: a atriz Katia Kobor, da série ‘Guilt’, como a mãe de Rocky, Ginger, Emma Becovici, como Diddy, irmã de Rocky e Jane May Graves como a enigmática Rebecca.



O roteiro foi muito bem trabalhado, sem furos visíveis do primeiro ao terceiro ato. É interessante a forma como o diretor mantém o telespectador concentrado e até brinca de certa forma com a lógica de quem assiste, soltando revelações que realmente ninguém espera que aconteça. A trilha sonora assinada por Roque Baños também é sensacional! Com músicas que nos fazem “roer as unhas” de tanta ansiedade, vamos ouvindo faixas que geram aquele frio na barriga, como só um bom filme de terror sabe fazer. Destaco os momentos em que o cão da raça Rottweiler rouba a cena. Quanto a duração, até que foi justa; é cerca de 1 hora e meia de ritmo acelerado e inúmeras partes tensas. Ponto positivo para o jogo de câmeras que se passam totalmente no escuro. Senhor amado, o que são aquelas tomadas? Nunca havia me sentido tão agitado em um thriller!



Em síntese, indico-o para quem é fã de thrillers com boas doses de tensão. Sem dúvidas vá ao cinema conferi-lo, pois é com certeza uma das apostas de melhor filme do gênero nos últimos anos. Fede Alvarez nos prestigia mais uma vez com um terror inteligente e intenso que usa e abusa de sustos perturbadores (sério, tomei uns 2 pulos e ainda não acredito como um espirro inesperado quase me fez perder o inquietante clímax da fita), mas no fim das contas é repleto de cenas inesperados que te fazem adentrar naquele cenário e acompanhar o que se passa no enredo com aflição e envolvência. O desfecho pode não agradar a todos, por conta de distrair um pouco a nossa mente, mas no meu caso, ele não foi problema nenhum. Recomendadíssimo!



Nota: 9,5

Título Original: Don't Breathe

Direção: Fede Alvarez

Elenco: Daniel Zovatto, Dylan Minnette, Jane Levy, Stephen Lang, Brak Little, Christian Zagia, Emma Bercovici, Jane May Graves, Jon Donahue, Katia Bokor, Sergej Onopko.

Sinopse: Três adolescentes escapam de roubos perfeitamente planejados. Mas, quando eles estão prestes a realizar seu último crime, assaltar a casa de um senhor cego, o jogo muda. Os jovens estão encarcerados e precisam lutar por suas vidas contra um psicopata cheio de segredos.


Trailer:

Mais imagens do filme:




E aí, gostou do filme? Deixe seu comentário abaixo!


Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...