Crítica: Visões de um Crime (2011, de Julien Magnat)


Lançado em 2011 direto para DVD com distribuição da California Filmes, o longa 'Visões de um Crime' é um tenso thriller cuja temática abordada é inusitada, porém inovadora. Estrelado por Milla Jovovich, Sarah Wayne Callies e Julian McMahon, a história é repleta de muito suspense e aborda um tema pouco visto em outros filmes, mas que possivelmente convença a maioria dos telespectadores.


A história gira em torno de Anna Marchant, professora de uma escola primária que vive com o namorado Bryce em um aconchegante apartamento e frequentemente se encontra com suas melhores amigas Francine e Nina para beber e papear. Quando Anna está cruzando uma ponte para se encontrar com Bryce, ela vê um serial killer matando uma mulher. Ela corre, mas é atacada pelo assassino e cai da ponte, batendo fortemente sua cabeça. Após ficar em coma por uma semana, ela acorda e descobre que sofreu um dano cerebral seguido de Prosopagnosia, uma desordem da percepção facial onde a habilidade de reconhecer rostos é comprometida, enquanto a de reconhecer outros objetos fique parcialmente intacta. Neste meio tempo, o detetive da polícia Sam Kerrest tenta fazer com que Anna lembre do rosto do matador, porém não obtém êxito. Agora, o assassino sabe que Anna viu seu rosto, mas que é incapaz de reconhecer o rosto das pessoas ao seu redor. Com uma trama bem desenvolvida, o diretor resolveu encaixar uma proposta não muito vista em outros filmes. Além disso, a tal doença que Anna sofre é uma das mais bizarras que existem, sério. Curti a premissa que ele nos entregou, foi uma bela surpresa.



Sobre o roteiro dele, infelizmente houve alguns deslizes, porém não tão graves que comprometam o desenrolar geral da fita. Em minha opinião, a sequência de eventos que ocorrem do início ao fim foi aceitável. Todavia, muitos talvez vejam a cena em que ela presencia o crime de acordo com outro ponto de vista e a achem estranha pelo simples fato do rosto do homicida não ser muito velado. Digo isso por mim, que percebi a falta de um jogo de câmeras melhor ali, que escondesse melhor a identidade dele. Tanto que o próprio resmungo do serial killer na versão dublada fica meio claro (os mais atentos vão se ligar). Outro detalhe foi com relação à visão de Anna em si. Há uma parte em que ela está se olhando no espelho e enxerga outro rosto; os ângulos focam no rosto dela e o da outra mulher, alternando-se várias vezes, sem problemas. A questão é que no início da tomada, a câmera cometeu o erro de mostrar outra atriz no lugar dela (descuido que alguns certamente notarão). Ademais, da metade até o final o ritmo se manteve acelerado e esses errinhos no quesito fotografia deixam de atrapalhar os mais concentrados. O enredo então passa a revelar mistérios que testam a lógica do espectador. Afinal, o assassino poderia estar bem na sua frente e ainda assim ela não o reconheceria, pois não o faz com ninguém. Qualquer um é suspeito para Anna...


Por outro lado, o ponto alto aqui é a atuação de alguns atores: no topo está Milla Jovovich, de 'Resident Evil' e 'A Trilha', como a protagonista principal. Anna é uma mulher que tinha a vida perfeita, mas vê tudo virar de cabeça pra baixo após o trágico acidente. Abalada, ela se encontra preocupada e teme o "jogo de gato e rato" que o assassino possa tramar se aparecer de repente. A bela atriz sempre dando o melhor em suas performance, aqui não foi diferente; Jovovich arrebenta e tenta a qualquer custo achar o criminoso, pois não irá desistir tão fácil. Temos também Julian McMahon, de 'Quarteto Fantástico' na pele do detetive Sam Kerrest, sujeito mesquinho que em sua personalidade demonstra arrogância e ao mesmo tempo cuidado com a situação de Anna; o ator foi razoável e seu personagem é de extrema importância, rendendo vários dos momentos eletrizantes da película. No elenco ainda estão rostos como Sarah Wayne Callies, de 'The Walking Dead' como a festeira Francine, 'Michael Shanks' como Bryce, marido de Anna, 'Valentina Vargas' como Nina e 'David Atrakchi' como Lanyon, homem enigmático que também está envolvido nas investigações do caso. Todos tiveram boas performances e embora o nível do carisma oscile bastante entre eles (vários atores interpretaram o mesmo papel, só variam no decorrer), penso que souberam segurar os papéis e entreter o público. Sua duração é de 1 hora e 40 minutos que passa despercebida pra quem se envolver com a trama. Eu particularmente não achei cansativa; diria que está na média para um thriller com uma história simples. A trilha sonora, que ficou por conta de John McCarthy, também foi interessante e conta com faixas frenéticas presentes nas cenas frenéticas. No entanto, a melhor sem dúvidas é a '1000 faces', da cantora Terra Naomi.


Em suma, indico-o aos fãs de suspenses policiais. Apesar das poucas falhas que apresenta, não é de se jogar fora (volto a ressaltar que já vi piores). Foi intrigante a ideia que os produtores tiveram de preparar os embates entre assassino e vítima de forma curiosa, uma vez que a mesma não é capaz de distinguir a aparência física dele. Portanto, valeu pela criatividade!



Nota: 7,5


Título Original: Faces in the Crowd

Direção: Julien Magnat

Elenco: Milla Jovovich, Julian McMahon, Michael Shanks, David Atrakchi, Alicia Johnston, Marianne Faithfull, Onalee Ames, Sandrine Holt, Sarah Wayne Callies, Sebastien Roberts, Valentina Vargas.

Sinopse: A história é centrada em Anna Marchant (Jovovich) uma mulher que é violentada por um assassino e acorda em um hospital com uma lesão na cabeça, que faz com que ela não consiga visualizar o rosto das pessoas. A vítima se torna uma portadora de prosopagnosia, uma desordem rara da percepção da face que danifica o reconhecimento dos rostos. Agora, a moça precisa encontrar uma maneira de reconhecer o serial killer quando vê-lo.



Trailer:
BÔNUS:
Faixa da Trilha Sonora Original: '1000 Faces' - Terra Naomi

Mais imagens do filme:



Gostou do filme? Deixe seu comentário abaixo!


Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...