Crítica: Invasores (2015, de Adam Schindler)




Neste ano o ótimo Hush - A Morte Ouve trouxe um gás novo ao subgênero home invasion que andava bem apagado e desacreditado devido as medianas e péssimas produções lançadas até então. O filme em questão mesmo não apresentando nada de muito inovador mostrou ao público o quão essas premissas de invasão domiciliar podem render histórias tensas e claustrofóbicas. Já em 2015 um filme que conseguiu chamar a atenção foi esse Invasores lançado neste ano em território nacional direto em DVD.

Imagine toda uma situação onde alguém tem a casa invadida por um bando de criminosos, esse fato além de angustiante é aterrorizante. Acredito que a primeira reação das pessoas seria chamar a polícia e sair o mais rápido possível do local. Mas e se a vítima em questão tivesse agorafobia ou em outras palavras medo de sair de casa?


É nessa situação interessantíssima que a história vai se desenvolvendo. No primeiro ato conhecemos a protagonista Anna (Beth Riesgraf) que está sofrendo pela morte de seu irmão, porém antes que ela consiga ir para o enterro sua casa é invadida por três homens, a partir daí não demora muito para o jogo de gato e rato e a luta pela sobrevivência se iniciar.

A princípio o longa não apresenta quase nada de muito original a não ser o fato da protagonista sofrer de agorafobia. Aliás, é a protagonista um dos pontos fortes da produção, principalmente pela ótima atuação de Beth Riesgraf, já o restante do elenco não se pode dizer o mesmo a não ser o fato de serem chatos e dispensáveis, mas é no segundo ato que o filme surpreende a todos com uma reviravolta bem sacada no qual deixará muitos de boca aberta. Neste ponto o longa ganha novos contornos,  nos deixando tensos para saber para qual rumo a história será levada.


Contudo, o roteiro ao invés de continuar inovando e explorando melhor as situações que são construídas prefere conduzir a história para um rumo preguiçoso que pouco aproveita as situações tensas e agoniantes que a trama e o local ofereciam. Até nas mortes que poderiam dar alguma alegria aos fãs acabam sendo desperdiçadas por serem triviais e sem impacto. E o que dizer do terceiro ato? Nada inspirador e o pior é a explicação em torno das motivações de determinado personagem que são mais do que manjados.

No geral, a produção se destaca por apresentar uma protagonista bem desenvolvida além de algumas situações inovadoras e claro, um ótimo plot twist que acaba sendo prejudicado por um péssimo trabalho de divulgação (recomendo não assistirem o trailer para não tirar o impacto da reviravolta). O roteiro e o diretor poderiam ter trabalhado melhor o primeiro e terceiro ato e entregado algo mais tenso e impactante, mas deixaram de lado várias oportunidades. No mais, o filme é bem mediano, uma pena, pois esperava algo excelente. Então fica a critério de cada um dar uma oportunidade ou não.



Título Original: Intruders / Shut In / Deadly Home

Direção: Adam Schindler

Elenco: Beth Riesgraf, Rory Culkin, Jack Kesy, Joshua Mikel, Martin Starr, Leticia Jimenez, Timothy T. Mckinney.

Sinopse: Depois que três criminosos invadem uma casa supostamente vazia, eles acabam se vendo em um jogo mortal de gato e rato com a moradora, uma jovem tímida e misteriosa que fará de tudo para eliminar os invasores.


Trailer:












Gostou? Não gostou ou tem alguma sugestão? Deixe seu Comentário!!

Jackson Willian

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...