Crítica: Turistas (2007, de John Stockwell)



Turistas foi um longa lançado em Dezembro de 2006 nos EUA e Canadá, chegando por aqui em Fevereiro de 2007. É dirigido por John Stockwell (Mergulho Radical) e se trata de um thriller eletrizante que exibe o nosso Brasil com uma certa ironia, pois a temática abordada é complicada: o tráfico de órgãos. Somente pelo título e temática já dá pra ter uma noção do que vai rolar. Isso mesmo: sangue, mortes e mistérios. Por essa razão que, em minha visão, ele é mais um daqueles filmes que entra para a lista do tipo "ame ou odeie". Aproveitando que outubro é o "mês do terror", ele também é uma boa dica para conferir e refletir após o término, por incrível que pareça.





A história acompanha um grupo de viajantes que está a bordo de um ônibus brasileiro, carregando turistas e brasileiros, por uma remota área rural. Porém no meio do caminho, o veículo sofre um acidente e deixa todo mundo no prejuízo, uma vez que se encontram numa terra desconhecida. O que era pra ser uma busca por paraísos extravagantes, bebida, diversão e aventuras se torna o pior de seus pesadelos. Ao procurar ajuda, eles conseguem algumas informações e vão parar em um bar de frente à praia próxima dali. Começam então a festejar e pensar que está tudo numa "nice"... Por enquanto...





Não demora muito pra que em meio a todo esse ambiente de farra, o clima de tensão invada a tela e misteriosos desaparecimentos comecem a acontecer. Na manhã seguinte, ao despertarem, o grupo descobre que todos foram roubados e que caíram na cilada do que conhecemos como "boa noite, cinderela". Os irmãos Alex e Bea, ambos americanos, junto com Amy, Finn, Liam e Pru, encontram-se em desespero. Por sorte, os mesmos conheceram Kiko, habitante local que lhes oferece auxílio e diz que pode levá-los onde desejam. O problema é que eles não imaginavam que iriam se tornar alvos de um traficante de órgãos, que não está afim de dinheiro e sim de vingança. A partir daí, é só adrenalina e luta pela sobrevivência.



Interessante que a partir de determinado momento, o espectador começa a curtir mais a trama, devido ao fato de daquilo que se passa ali é particularmente realista. Esse é um aspecto positivo que destaco, indo na contramão da maioria dos comentários da internet, cujos quais mostravam a fúria de muita gente, alegando que era bastante mal feito e não passava de uma cópia barata de O Albergue. Nesse quesito, ainda que na época do lançamento tenha havido toda uma polêmica em volta dele e a imprensa afirmasse que era o filme mais discutido pela mídia, sejamos sinceros, pessoal: não é lá o pior do mundo, né? Ao mesmo tempo em que ele poderia ter chamado a atenção do povo com seu potencial, por incrível que pareça não impressionou a maioria dos telespectador, principalmente o brasileiro em si. Penso que pela controvérsia por trás dele (falarei dela a seguir). Um aspecto engraçado aqui é que parte do CGI é risível (a outra é bem feita) e quando momentos de impacto estiverem prestes a chegar você até dê umas risadas, na melhor das hipóteses.



Essa ideia de misturar drama, terror, aventura e até de certa uma comédia era, é e sempre será motivo de chacota por parte dos brasileiros, visto que vários enxergaram como um filme que denigre a imagem do país. Realmente, a mensagem passada nas entrelinhas é essa: de que nossa recepção com turistas é calorosa, simpática, para na verdade armar contra eles, tendo em vista uma intenção oculta. Sério? Ressalto que isto envolve outra questão importante: o objetivo do traficante vilão, que através de suas ações ruins visa fazer algo de bom (onde é que já se viu isso?). Bizarro é a palavra que define sua motivação!



Com relação ao elenco, temos atuações aceitáveis: Josh Duhamel, de (Transformers), Olivia Wilde, de (Tron - O Legado) Melissa George, de (30 Dias de Noite) e Beau Garrett, de (Quarteto Fantástico e o Surfista Prateado). Todos conseguem transmitir a imagem de gringos que são a vítima perfeita para traficantes, seja de órgãos ou até humano. Não pense que isso é algo fictício, pois faz parte da realidade sim. Rostos como Desmond Askew e Max Brown passam o retrato dos estrangeiros que ao vir ao Brasil, procuram mais folia do que cultura propriamente dita e inclusive há uma cena de nudez explícita que ao meu ver não precisava ter sido posta, mas fazer o que... É Hollywood. Outro ponto é a trilha sonora, assinada por Paul Haslinger. Ele nos entrega faixas que remetem exatamente todo aquele cenário sombrio, onde as tomadas pegam um tom mais escuro, para dar aquela agonia em nós. São ouvidas músicas de funk, Marcelo D2 (que não podiam faltar) e até Adriana Calcanhoto, cuja faixa assim que tocou nos créditos finais, soou cômica para alguns e ridícula para outros.



O roteiro é meio batido, porém não obstante, apresenta um enredo com uma atmosfera tensa. No primeiro ato, ele a princípio vem com uma premissa inovadora; já no segundo ato o ritmo é acelerado e somos transportados a um local onde a violência extrema reina. Entretanto, na chegada do terceiro ato ele decai um pouco, já que faltou um melhor desenvolvimento do plot twist. No entanto, confesso que independente disso, fiquei chocado ao ver o requinte de crueldade exposto em certas partes (embora o filme exagere um pouco), especialmente na cena onde os detalhes gráficos podem causar um desconforto no público; quem vê pensa que isso não ocorre por aí.



Em síntese, não compreendo porque algumas pessoas às vezes preferem não enxergar a realidade que engloba esse assunto; penso que a polêmica por trás foi desnecessária e admito que o veria novamente, sem problemas. Afinal, parece que cada vez que eu o assisto, noto algum detalhe que passou despercebido e isso é algo bom. Realço que existem muitos longas de horror que de tão vergonhosos que são seus temas, nem despertam a minha vontade de rever. O que aqui neste caso se diferencia. Sendo assim, espero que você, caro leitor do Minha Visão do Cinema, como um espectador ciente, curta a experiência de Turistas, que apesar dos clichês típicos de terror, merece ser conferido. Acima de tudo, leve em conta que aqui, nem tudo é o que parece. Fica a dica para seu domingo ou feriado vindouro!








Título Original: Turistas

Direção: John Stockwell

Elenco: Josh Duhamel, Melissa George, Olivia Wilde, Agles Steib, Andréa Leal, Beau Garrett, Caique Martins Ferreira, Cristiani Aparecida, Desmond Askew, Diego Santiago, Ediane Aparecida, Gabriela Migliano, Gustav Roth, John Stockwell, Jorge Neves Jorge Só, Julia Dykstra, Lucy Ramos, Maicon Lemos Braga, Marcão, Marcos Vinicios, Maria Aparecida Gouveia, Max Brown, Miguelito Acosta, Miguel Lunardi, Olga Diegues, Pollyanna Rose, Raul Guterres, Rodiney Ferreira, Salvador dos Santos, Silvia Helena de Oliveira, Suzana da Silva, Vanessa Bueno.

Sinopse: Turistas é um suspense tenso e inquietante que gira em torno de um grupo de jovens viajantes que estão à procura de paisagens exóticas, música, bebidas e aventuras sexuais. Mas um acidente os deixa numa terra afastada e a mercê de um traficante de órgãos, que não quer dinheiro, quer vingança.




Trailer:



Mais imagens do filme:






E aí, já viu o filme? Conte pra gente o que achou!

Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...