Crítica: Chef (2014, de Jon Favreau): cinema e a nova onda da gastronomia


Chef é dirigido por Jon Favreau (que também é o roteirista e atua como protagonista no longa), da sequência de Homem de Ferro e do esquecível Cawboys e Aliens. Neste filme, ele parece aproveitar a visibilidade que teve dirigindo filmes de grande público para apostar em um estilo diferente e com personalidade própria. Carl Casper é um chef de cozinha talentoso que não tem restaurante próprio, ficando submetido ao conservador dono do negócio, Riva (Dustin Hoffman). Quando Carl recebe uma crítica negativa de Oliver Pratt (Ramsey Michel), acaba usando o twitter de maneira desastrosa e começa uma guerra virtual com o crítico. Acaba demitido, e com a ajuda de sua ex-mulher Inez (Sofia Vergara), resolve investir em um food truck.

Chef tem vários problemas, subaproveita muitos atores que poderiam contribuir mais com a trama (como Dustin Hoffman, Scarlett Johansson e Robert Downey Jr.). Os papéis de Scarlett Johansson e Robert Downey Jr., aliás, são quase desnecessários. Sofia Vergara também tem um papel estranho, onde não parece ter uma vida própria, tendo como objetivo "consertar" a vida de seu ex-marido. Apesar de Carl parecer até ter sido bem construído (principalmente visualmente, com tatuagens e um jeito mais descolado), também exagera no estereótipo de "gênio incompreendido". Além disso, a relação entre Carl e seu filho Percy (Emjay Anthony) poderia ser mais profunda, pois tudo se mostra tão frio entre os dois no início, que fica difícil comprar a mudança tão rápida e completa. Apesar disso tudo, Chef é leve e divertido, traz uma fotografia bonita, que ressalta o verão e a gastronomia. A trilha sonora também é boa.



Além disso, Chef conta uma história que se repetiu em vários lugares dos EUA e, posteriormente, do Brasil: a nova onda dos food trucks. Diferentemente do que acontece com Carl, temos visto uma onda de diversificação da gastronomia por diversos motivos (como crises financeiras, um desejo de maior liberdade para chefs de cozinha, maior proximidade com o público, etc), com a utilização de food trucks e de redes sociais como o twitter para divulgação do trabalho de chefs de cozinha, e de uma maior aproximação desses profissionais com o grande público. De alguma forma, Chef traz uma parte dessa história, ao usar o food truck como ferramenta para alcançar a tão sonhada liberdade de criação.



Enfim, Chef traz algumas discussões além do próprio cinema em si, e que acabam sendo até mais interessantes do que o filme. É legal quando o cinema traz situações reais como contexto para contar histórias de ficção. Então, Chef ainda vale a pena para aqueles que curtem gastronomia e histórias leves, sem tanto compromisso com discussões aprofundadas.







Título original: Chef

Diretor: Jon Favreau

Elenco: Jon Favreau, John Leguizamo, Sofia Vergara, Ramsey Michel, Emjay Anthony, Dustin Hoffman, Scarlett Johansson, Robert Downey Jr.

Sinopse: Carl Casper (Jon Favreau) é o chef de um restaurante badalado de Los Angeles, mas volta e meia enfrenta problemas com o dono do local (Dustin Hoffman) por querer inovar no cardápio ao invés de fazer sempre os pratos mais pedidos pelos clientes. Um dia, um renomado crítico gastronômico (Oliver Platt) vai ao restaurante e publica uma crítica bastante negativa, baseada justamente no fato do cardápio ser pouco criativo. Furioso, Casper vai tirar satisfação com ele e acaba demitido. Pior: a briga vai parar na internet e se torna viral, o que lhe fecha as portas nos demais restaurantes. Sem saída, ele recebe a ajuda de sua ex-esposa (Sofia Vergara) para reiniciar a vida no comando de um trailer de comida.




Trailer:




E você, o que achou do filme? Deixe sua opinião!

Erica Caetano Roos

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...