Crítica: A Cilada (2016, de Elizabeth Allen Rosenbaum)






Faz pouco tempo que o suspense A Cilada chegou ao Brasil. O longa, estrelado por Nick Jonas e Isabel Lucas, foi lançado direto em DVD. Porém isso não significa que ele seja um lixo; diria que o mesmo é parte das boas exceções. A meu ver, a diretora Elizabeth Allen Rosenbaum construiu um plot twist inesperado. Tão impensável que superou as minhas expectativas!




A história acompanha a vida de Doug Martin, um jovem estudante do ensino secundário que consciente de si mesmo, recebe muito mais do que esperava quando inicia um tórrido affair com Lena, a bela e solitária esposa de um homem de negócios que alugou a casa do Lago que fica perto da sua casa. Logo, uma série de assassinatos começa a agitar a sua pacata cidade, Doug descobre um segredo devastador e rapidamente descobre que é um dos principais suspeitos dos crimes. Com o relacionamento passando da diversão para o perigo, quem pode ser o verdadeiro assassino? Existe mais alguém envolvido? Essas são perguntas cujas respostas foram esclarecidas da maneira mais astuta possível. Fiquem atentos.



Ademais, é improvável negar que embora o roteiro seja atraente, houveram alguns chavões, mas em minha visão eles não comprometeram tanto assim o resultado do longa no geral. Confesso que até o mistério ser revelado, pensava estar vendo apenas mais um thriller ordinário, cujos vários personagens agem como se fossem os criminosos e o telespectador, envolvido, vai dando a sua sugestão, certeira ou não. Quando isso ocorre, geralmente os menos atentos – e não digo que não estou incluso neles – não irão notar um detalhe aqui, outro ali e raciocinar o porquê de tal pessoa que age mais estranho pode não ser bem o assassino. Entretanto, na hora do revertério, quase não sabia onde “enfiar a cabeça”. De tão preso que fiquei em um palpite (e não era dos mais óbvios), isso só me fez chegar à conclusão de que não é sempre que dá pra confiar na nossa intuição. Em contrapartida, se a intenção dos produtores era impressionar o público com um terceiro ato inusitado, pois então eles conseguiram. Eis aí aquele momento em que a gente pensa: “puxa vida, por essa eu realmente não esperava". Convenhamos, guardar um segredo não é nada fácil, né?



Com relação ao elenco: o protagonista é interpretado por Nick Jonas, de Scream Queens e conduzido muito bem pelo ator. Ele é aquele típico adolescente cuja juventude lhe promete muitos prazeres. Todavia, aqui os mesmos acabam se tornando um verdadeiro pesadelo, uma vez que Doug se vê a mercê de não poder contar nada a ninguém sobre seu caso com Lena. Diria na maior sinceridade que o ator conhecido pelo seu papel no teen Camp Rock não se saiu mal não; seu personagem aparenta não estar sabendo lidar com os possíveis atos cometidos nem se preocupando com as consequências. Seja no campo da música ou do cinema, Nick não fica devendo.





Já Isabel Lucas esbanja mais desconfiança do que exuberância propriamente dita e entrega uma Lena cheia de incertezas, que vê em Doug a brecha perfeita para seduzi-lo e fazer dele sua “marionete”. Em meio a sensualidade e calmaria, a atriz ainda precisa melhorar um pouco em suas próximas atuações, visto que desde Imortais e Transformers – A Vingança dos Derrotados seus papéis estavam bem “água com açúcar”. Temos ainda a presença de Dermot Mulroney (Segredos de Sangue) como o misterioso Elliot Harper, que embora pouco carismático, não deixa de ter extrema relevância na trama. O resto do elenco secundário inclui rostos como Graham Rogers (Quantico), Kandyse McClure (Hemlock Grove) e Paul Sorvino (pot - Um Cão da Pesada).




Com um curto tempo de duração (em torno de 1 hora e meia), a trilha sonora inclusive é plausível; há faixas que remetem a todo o clima de apreensão e pressentimentos ocultos do enredo. No entanto, também houveram algumas partes onde o conteúdo sexual ficou exagerado, sério. A meu ver essas partes foram desnecessárias, mas é porque às vezes tenho uma cisma com tais instantes. Embora forçadas, se aplicam no contexto. Por fim, 'A Cilada' é um ótimo filme que te prende justamente pela intriga envolvendo a temática proposta e pela reviravolta inesperada que surpreenderá a maioria dos telespectadores; pelo menos comigo assim o fez. Fica a dica pra sua sexta!






Título Original: Careful What You Wish For

Direção: Elizabeth Allen Rosenbaum

Elenco: Nick Jonas, Isabel Lucas, Dermot Mulroney, Alex ter Avest, David Sherrill, Fred Galle, Graham Rogers, Kandyse McCLure, Kevin J. O'Connor, Kiki Harris, Marc Macaulay, Paul Sorvino, Ross Gallo.

Sinopse: Um sujeito recebe mais do que merece depois de começar a ter um caso com a esposa de um banqueiro de investimento. Porém, não demora muito até que uma morte suspeita e uma substancial apólice de seguro de vida o envolva em um escândalo repleto de mistérios.
Trailer:


Mais imagens do filme:








Gostou? Não esqueça de deixar seu comentário!

Eduardo Ben

Sou um jovem que curte bastante cinema, inglês, ler e jogar de vez em quando.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...