Crítica: O Chamado 3 (F. Javier Gutiérrez, 2017)



Para quem é fã de Samara Morgan, a menina do poço, talvez se agrade com essa sequência da franquia O Chamado, ou não. Ela retorna as telonas doze anos depois de O Chamado 2 (2005). O novo filme não se trata exatamente de uma continuação dos filmes anteriores, mas de uma nova proposta para os tempos atuais, como por exemplo, a disseminação do vídeo através da internet e seus mais variados dispositivos de acesso e a apresentação de uma história oculta que explicaria as origens da menina Samara.

O mais provável é que quem não seja fã da franquia de filmes ou que vá ao cinema esperando ver um filme repleto de cenas de terror e muitos sustos, provavelmente não vai gostar de assistir esse filme. Agora, pra quem é fã, já assistiu aos filmes anteriores e gostou de ambos, até mesmo do segundo que não é tão bom, mas geralmente pela empatia com os personagens e principalmente com a história o público que é fã, pode até gostar de uma coisa ou outra (como foi no meu caso).

O filme dirigido por F. Javier Gutiérrez (A Casa dos Mortos, 2015) traz uma abordagem muito atual para a história da menina do poço, que matava aqueles que assistissem a um vídeo e que em sete dias, caso o espectador não fizesse outra pessoa assistir o vídeo antes, inicialmente em VHS, essa pessoa receberia uma visita de Samara e morreria. Essa provavelmente é a parte mais legal do filme, as pessoas vendo o vídeo nas telas dos celulares, notebooks e até nas telinhas dos aviões e ver que como o avanço da tecnologia e as proporções que isso tomaria e o número de vitimas que Samara faria, mas esse detalhe provavelmente só será notado por quem já gosta da franquia.



No geral o filme não tem grandes destaques ou grandes efeitos. O elenco conta com protagonistas novatos como Matilda Lutz e Alex Roe, o que em parte pode ter prejudicado, o casal protagonista até demonstra uma boa interação e forma uma boa dupla, mas, por exemplo, quem já era acostumado com a presença de cena de Rachel (Naomi Watts, O Chamado 1 e 2) sabe como a personagem era corajosa, destemida e ia até o fim e isso faltou na personagem Julia (Matilda Lutz), por mais que seja o que ela acabe sendo, mas sem passar uma emoção, e seu par não fica pra trás. Um destaque no elenco é Johnny Galecki (The Big Bang Theory) interpretando o professor Gabriel, que assiste ao vídeo e vê no caso de Samara elementos fundamentais para levantar pesquisas e fazer estudos sobre vida pós a morte.

O Chamado 3 possui uma boa fotografia, usa-se muitos tons azuis, mas não tão escuros durante grande parte do filme, inclusive as cenas mais intensas, certamente pra dar essa sensação de frieza e por ser tratar de drama e suspense, uma trilha sonora mais calma dá harmonia a esse estilo e pegada geral do filme. Inclusive, se faz mais presente o suspense e um teor meio dramático, do que de terror propriamente dito.


O roteiro que fica por conta de Akiva Goldsman (Anjos e Demônios, 2009) aposta em um suspense com mais qualidade durante todo o filme, descartando os sustos e tentando focar no desvendar dos mistérios por trás de Samara e suas origens. Mas, se tratando de roteiro, estamos falando de algo muito irregular durante a maior parte do filme. Pois, o longa metragem começa bem impactante, em um avião, com duas pessoas que já assistiram o vídeo há uma semana. Aqui, há ação misturada a pânico e terror. O que leva o espectador a crer que algo incrível vem pela frente, mas na prática não é o que acontece. O roteiro falha no desenrolar da trama, principalmente quando os envolvidos são os protagonistas, sendo que eles são muito pouco desenvolvidos. Outra falha e talvez uma das maiores é o numero de aparições de Samara que são poucas, considerando que ela é o elemento principal do filme. Um ponto positivo no filme é uma grande revelação quase no final do filme. (Isso manterei em segredo para aqueles que ainda vão assistir o filme). Por fim, o desfecho do filme, deixa muito a desejar, pois não é conclusivo, mas não fica claro se aquilo pode se tornar outra sequência. Bom, só conferindo pra ter certeza!

No geral, o filme tenta se estabelecer usando uma abordagem atual e dando uma explicação que talvez faltasse, mas que não era necessária para a história de Samara e sua origem, sem contar que todo o seu desenrolar é bem previsível e ainda em um ritmo um pouco lento, fora os momentos finais que surpreendem o filme não tem nada tão surpreendente.




Titulo Original: Rings

Direção: F. Javier Gutiérrez

Elenco: Johnny Galecki, Alex Roe, Matilda Lutz.

Sinopse: Julia (Matilda Lutz), descobre que seu namorado Holt (Alex Roe) está em perigo após assistir o temido vídeo, que mata aqueles que o assistem em sete dias e na expectativa de ajudá-lo, ela irá desvendar mistérios por trás da macabra Samara Morgan.

Trailer:




Me diga o que achou do filme, se você é fã da franquia, compartilhe conosco o seu ponto de vista em relação a esse terceiro filme e se você gostou da crítica, compartilhe antes de sete dias se não nossa amiga Samara vai te pegar rs (brincadeirinha)


Ana Paula Araújo

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...