Crítica: La Vingança (2017, de Fernando Fraiha e Jiddu Ribeiro)





La Vingança é um daqueles ótimos achados do cinema nacional. Obviamente não é um filme que entrará para história do nosso cinema como Aquarius ou Que Horas Ela Volta?. Mas o filme com co-produção argentina, não tem a pretensão de ser uma grande obra cinematográfica, e é nessa leveza que o road movie caminha do início ao fim.

O filme começa com Caco, personagem de Felipe Rocha, indo pedir a mão de sua namorada (Leandra Leal) em casamento. Ao chegar no restaurante em que a moça trabalha, ele a encontra com Facundo, um famoso galã argentino que além de ser dono de uma grande franquia de restaurantes, apresenta um famoso programa de TV na Argentina. 



Depois de semanas de depressão, o melhor amigo de Caco, Vadão, propõe uma viagem até a Argentina para os dois transarem com quantas argentinas conseguirem para se "vingar" da traição vivida pelo protagonista. Dando a origem ao nome do filme, que brinca muito bem, desde o trailer até o fim do filme, com o fato do 'portunhol' que usamos para se comunicar por grande parte da América do Sul.


Apesar de um enredo bobo, e que facilmente poderia cair para os machismos dos besteiróis que temos aos montes nas produções audiovisuais do mundo inteiro, o filme entrega um 'bromance' maravilhoso entre os personagens de Felipe Rocha e Daniel Furlan; este último, apesar de representar o pior que um homem pode ser para tentar conquistar garotas, não permite que o texto do seu personagem chegue na babaquice ofensiva que poderia facilmente chegar. Na realidade, o filme subverte o tempo todo a ideia dos homens espertalhões brasileiros, e sempre os coloca em posição de rebaixado diante das mulheres, dos argentinos ou das mulheres argentinas. 


O tema central do filme é a traição sofrida por Caco e indiretamente uma problematização acerca dos laços matrimoniais, porém, as grandes sacadas do filme vêm principalmente através da ótima comédia futebolística presente em todo o filme. O ator Daniel Furlan, é conhecido pelo público de programas da MTV e do canal do Youtube TV Quase onde apresenta o Falha de Cobertura. Programa que satiriza o futebol de forma extremamente cômica e com um roteiro extraordinário. 

Por exemplo, a questão Maradona ser melhor que Pelé, rendeu boas risadas a todo o público no cinema e, sinceramente, ouso afirmar que fazia muito tempo que não era vista uma comédia inteligente e tão contagiante no cinema nacional como neste filme. Talvez pelo processo de criação dos diálogos do roteiro, que foram adicionados pelos próprios atores ao texto, deixando a comicidade já apresentada pelos dois, ainda mais evidente na telona.




Além de contar também com uma trilha sonora incrível e uma ótima direção, o roteiro de La Vingança se sustenta além das piadas e consegue manter um bom ritmo do começo ao fim, passando muito rápido os já curto 90 minutos de duração do filme. 

Particularmente, fazia muito tempo que eu não gargalhava no cinema. E a quantidade absurda de filmes mais ou menos que ando assistindo nos últimos tempos me faz entrar na sala do cinema em quase todos os filmes com os dois pés atrás.  Mas esta obra em específico conseguiu arrancar muitas risadas minhas com primazia, e seu estilo completamente diferente da maioria das comédias nacionais me encantou profundamente. O filme é inteiro coeso, e não deixa nenhuma margem para crítica negativa quanto as outras questões técnicas que não foram enaltecidas nessa postagem, como a arte (que tem belos momentos), a fotografia ou a edição. O que penso não ser digno de realce no filme, foi pelo menos executado com muita competência.  





Título Original: La Vingança

Direção: Fernando Fraiha e Jiddu Ribeiro

Elenco: Felipe Rocha, Daniel Furlan, Leandra Leal, Anita Pauls, Aylin Prandi, Adrian Navarro, Gastón Ricaud.

Sinopse: Dois amigos caem na estrada com destino a Buenos Aires, com uma missão: conseguir ficar com o maior número de argentinas possível. Isso tudo é um plano para lavar a honra de Caco, um homem de trinta e poucos anos que pegou sua namorada com um argentino. 

TRAILER
E vocês, leitores, aceitam a recomendação? Acham uma boa ideia assistir o filme no cinema? Querem entender o porquê de uma foto do Bruce Willys no fim do post? Responde aí embaixo nos comentários.

Rodrigo Zanateli Ribeiro

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...