Crítica: xXx: Reativado (2017, de D.J. Caruso)


No início dos anos 2000, tivemos o surgimento de algumas sagas cinematográficas que apostavam alto em efeitos especiais exagerados, câmera lenta, um estilo moderno e radical, cheias de computação gráfica, com algumas insanidades impossíveis. São franquias que definiram o estilo das superproduções pipocas e desmioladas do cinema recente, onde temos Anjos da Noite, Resident Evil, Velozes e Furiosos e xXx. São produções que tem "a cara" dos jovens e do mundo pop do início dos anos 2000. Em uma espécie de revival, este terceiro longa vem intitulado xXx: Reativado, e é literalmente o retorno do astro do primeiro filme, Vin Diesel, uma vez que o segundo teve Ice Cube como protagonista. 



Na trama, Xander Cage (Diesel) retorna a ação, selecionando um grupo tão pirado quanto ele, afim de salvar o mundo mais uma vez de uma conspiração governamental. A grande sacada da franquia sempre foi misturar os clássicos elementos de espionagem (estilo 007 e Missão Impossível), porém com esportes e acrobacias radicais e urbanas (estilo Velozes e Furiosos). E aqui não é diferente. Talvez você pense: "mas os primeiros filmes já foram bem ruins". E é verdade, mas é interessante o fato destes nunca tentarem serem bons. 


Acontece que a franquia xXx é similar a Velozes e Furiosos em abraçar o burlesco, com personagens canastrões e leis da física sendo esquecidas. Aqui em Reativado, temos cenas de ação que são "mentiradas" uma atrás da outra, porém feitas com um certo tom cômico proposital, além de ter um grande compromisso de divertir a quem goste deste estilo. Vin Diesel não é um grande ator, apresentando uma canastrice dentro e fora das câmeras, vide as "cantadas" que ele deu em uma entrevista aqui no Brasil e que causou polêmica. Ele é um dos últimos astros da ação B que surgiu nos anos 2000, que segue aquela escola do Stallone ou Schwarzenegger. Aqui a atuação pouco importa quando se tem carisma e sabe-se vender seu filme. E tal qual Tom Cruise, Vin Diesel sempre se envolve na produção e nos bastidores de seus filmes, exercendo influência e acreditando cegamente nos seus projetos, conseguindo vender bem a brincadeira.


O roteiro é genérico, sem-pé-nem-cabeça, clichê e bobo, com frases de efeitos jogadas atoa, nunca se levando a sério. E é nesta irreverência que o filme ganha pontos, aquele caso de que é tão ruim, que é bom. Sem pretensões de ser algo maior, algo que muito filme de ação e de herói peca, xXx apenas quer divertir e causar certa nostalgia nos que foram adolescentes na época dos primeiros. A direção de D.j. Caruso (do ótimo Paranoia) é competente dentro da proposta, apesar de falhar algumas vezes. Mas as cenas de ação, bastante picotadas, conseguem trazer alguns momentos divertidos. Outro destaque vai para toda parte visual, não apenas nas explosões e cenas com CGI, mas também na fotografia e direção de arte, que criam momentos com lentes amarelas e laranjas, causando uma sensação tropical, quente e praiana, que casa bem com o estilo radical das personagens.

Mas no final das contas, quem realmente se destaca é o grande elenco coadjuvante. Samuel L. Jackson faz o de sempre dos seus mil filmes por ano, sempre de maneira descontraída. Donnie Yen revela-se um carismático ator, além de ótimo lutador, assim como que o jeito bobão de Tony Jaa e suas acrobacias também dão conta do recado. Ice Cube retorna e tem um divertido e aguardado encontro com Vin Diesel (heróis do 1° e 2° filmes finalmente juntos). E até o nosso jogador Neymar dá as caras, por breves momentos. Não gosto de futebol, mas a presença dele não ofende em nada a produção. E quando entra o elenco feminino, temos a cereja deste bolo de festa. A ótima Toni Collete está a vontade neste papel mais simples, já Ruby Rose também está bem no seu papel durão, saída de Orange is the New Black, ela é a nova musa da pancadaria do momento (só em 2017, além de xXx, ela está nos novos Resident Evil e John Wick). A musa indiana do momento Deepika Padukone também dá conta como a mocinha, além de ter bons momentos de ação e um timing sexy em cena. E quem diria que Nina Dobrev, de The Vampire Diaries, seria o grande alívio cômico da produção? Ela é uma agente nerd e fã de Xander Cage. Sua participação é irresistivelmente carismática. Em um filme lotado de ação e entretenimento simples e puro, quem parece realmente se divertir é este grande elenco, tudo em um tom de brincadeira. 



Título Original: xXx: Return of Xander Cage

Direção: D.J. Caruso

Elenco: Vin Diesel, Nina Dobrev, Ruby Rose, Donnie Yen, Samuel L. Jackson, Tony Jaa, Toni Collete, Deepika Padukone, Kris Wu, Neymar Jr., Ice Cube, Rory McCann, Hermione Corfield.

Sinopse: Xander Cage (Vin Diesel) desiste de sua aposentadoria quando Xiang, um guerreiro alfa mortal, coloca suas mãos em uma arma indestrutível chamada de "Caixa de Pandora". Xander recruta os melhores soldados do mundo para destruir o vilão e paralelamente tem que enfrentar uma resistência formada por governos corruptos de todo o mundo.

Trailer:







 





Gostou do filme e da matéria? Então dê um curtir e comente :)



Minha Visão do Cinema

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...