Critica: Eu, Tu e Ela (NETFLIX): Um conceito não-tradicional sobre casamento


Sabe aquela série que explora tabus de uma maneira leve e irreverente? Assim é Eu Tu e Ela (You, Me Her).

Não tem como introduzir o conceito da série sem soltar spoiler de como ela funciona... Atenção: se você quer assistir sem saber nada da história, sugiro pular para o último parágrafo, caso ao contrário, bom divertimento!


O enredo gira em torno do casal convencional Jack e Emma, que após alguns anos de casados, não conseguem evitar a natural monotonia que ocorre em relações longas, o que se intensifica após inúmeras tentativas de engravidar de forma mecânica e sem vontade de terem relações sexuais. Em meio a este marasmo, Jack, após um conselho de seu irmão, solicita os serviços da acompanhante Izzy, uma universitária divertida e apaixonada, que se encanta por ele. 


Emma, ao tomar conhecimento deste encontro do Marido com Izzy, resolve conhecê-la para entender o porque ele se interessou por ela e também se fascina pela garota. Após colocarem as cartas na mesa, ambos resolvem contratá-la como uma forma de apimentar a relação, porém, não imaginariam que os três se apaixonariam louca e inconsequentemente, colocando em risco a posição social e financeira que se encontravam.

Izzy (Diminutivo de Isabel) pode ser considerada uma palavra homófona (som parecido com escritas diferentes) para Easy (fácil em inglês); Izzy se apaixona e aceita facilmente a relação à três e o casal também tem uma conexão fácil com ela, já que seu jeito amável, jovial e sedutor cativa facilmente eles e o telespectador.



Mesmo que você seja uma pessoa mais conservadora, mas que possui curiosidade de como um mundo a três funciona, conseguirá assistir a série, pois apesar da narrativa abordar temas tabus como bissexualidade e poliamor, o faz de uma maneira tão leve, que mesmo sem pensar, você estará secretamente torcendo para que os três acabem ficando juntos de forma definitiva.

Acredito que esta sensação se dê pelo fato de que nada daquilo foi planejado, simplesmente acontece de uma forma tão natural como todo romance deve ser e faz com que a dinâmica do casal ou do "trisal" como eles se chamam, funcione de uma maneira única. Desde o inicio fica claro a honestidade e cumplicidade dos três para que tudo aconteça, sem prejudicar o relacionamento e é esta cumplicidade que faz com que não exista um julgamento do certo ou do errado que normalmente teríamos em uma situação parecida. Se todos concordam e estão apaixonados, porque não deixar fluir?

O mais interessante é que o casal inicial (Jack e Emma) parecem monótonos, cansativos e insossos quando estão sozinhos, mas com a chegada de Izzy (o tempero), eles começam a se revelar mais interessantes e especiais, surgem revelações escondidas do passado que fazem com que a cumplicidade entre o trio seja genial.

A diferença entre a idade deles (o casal com mais de 30 e a universitária com 20 e poucos) revela o abismo de objetivos pessoais e profissionais que possuem entre si e também um esforço para chegarem à um meio termo e conseguirem se entender. Aqui identificamos não só uma crise conjugal, mas também de identidade que eles possuem, tanto em relação a sexualidade e exclusividade, como também de sentirem-se mais jovens com a presença de Izzy.



No desenvolver da história vão surgindo complicações como: de que maneira este relacionamento a três seria aceito pela sociedade, ciúmes, exclusividade e de como a dinâmica seria funcional para os três.


Lógico que também existem cenas mais picantes, mas de uma maneira mais insinuante do que explicita, pois apesar de haver a excitação de algo novo e do trio, o romance e suas dificuldades são mais foco do que o fato sexual em si, lembrando que sua classificação é 16+.


Os personagens secundários também são muito interessantes, pois sempre existirá a vizinha fofoqueira, a amiga conservadora e tantos outros curiosos que dão charme a trama.


No elenco temos atores interessantes que também atuaram em outras séries, como Melanie Papalia (Suits) interpretando Nina Martone, além de Lisa Marie DiGiacinto, Ennis Esmer (The Listener, Red Oaks), entre outros.

As atuações de Priscilla Faia (Izzy) e Jennifer Spence (Carmen- amiga de Emma) são um show à parte e deixam a história mais divertida.


Seu formato com episódios pequenos e rápidos, que prendem o interesse no que vai acontecer em seguida, permite que o telespectador maratone facilmente a série em um dia.


Confesso que quando comecei a assistir, tive um preconceito inicial de que aquilo jamais poderia ser algo aceitável em nossa sociedade monogâmica, mas no meio da série já havia me apaixonado pelo jeito sexy de Izzy, e apesar de não aceitar isso em minha vida, entenderia que esta prática não é tão bicho de sete cabeças como parece, pois se há aceitação entre eles, porque alguém de fora poderia julgar?

Apesar de ser algo fora de nosso padrões, algumas pessoas poderão identificar a série como algo imposto para destruir a família tradicional, outros com mente aberta, poderão apenas tentar entender como funciona um triângulo amoroso consentido. 


Imagino que no desenrolar das demais temporadas surgirão novos conflitos que fazem parte de qualquer relacionamento e com certeza pode ter ramificações bem interessantes...


A série não pende completamente para o lado dramático como as demais do mesmo segmento, mas sim um tom de comédia e vale a pena ser assistida tanto pelo carisma de Izzy, quanto para tentar entender que nem todo o tabu é tão estranho e impossível de acontecer como imaginamos...





Título Original: You Me Her (Sesson1) 


Direção: Nisha Ganatra

Elenco: Greg Poehler (Jack); Melanie Papalia (Nina); Priscilla Faia (Izzy); Rachel Blanchard (Emma); Jarod Joseph (Andy); Jennifer Spence (Carmen); Laine MacNeil (Ava); Patrick Gilmore (Shaum)


Sinopse: 
Seguindo o conselho de seu irmão, Jack decide contratar uma acompanhante de 25 anos para apimentar seu casamento, Izzy, que acaba se envolvendo no casamento e formando um trio amoroso fora de serie que começa a chamar a atenção dos vizinhos.                                                                  

Trailer :


Imagens:









Recentemente a Netflix liberou a segunda temporada. Para quem já assistiu e quer saber como será a segunda, aproveite o teaser abaixo. 
                               
                                            Teaser:





E você, se apaixonou pela série? Curta e compartilhe :)



@LillyDzura

Criativa, Cinéfila, Curiosa, acredita que os filmes influenciam em sua vida como lições que podem ser aprendidas sem que aquilo tenha acontecido em sua vida. Acha que toda história tem dois lados e que sempre há alguma coisa de bom para ser aprendido no que deu errado.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...