Especial: Clint Eastwood

Alguém duvida que Clint Eastwood é um dos grandes mitos do cinema mundial? 

Os números da carreira de Clint são impressionantes: atuou em 60 filmes, produziu 29 longas e dirigiu 37 obras para o cinema ao longo de 62 anos de carreira, além de produções para tv.

É ou não é para este senhor de 87 anos estar no guinness book?

Brincadeiras à parte, o que impressiona também na carreira de Clint, é a quantidade de indicações e premiações que seus filmes conquistaram mundo afora, seja na produção, na direção, com os atores/atrizes ou o próprio filme em si. Vamos conhecer alguns destes filmes super premiados em que Clint é responsável pela direção da obra?

Unforgiven – Os imperdoáveis (1992)




Protagonizado pelo próprio Clint Eastwood, é um filme que retrata a história do ex-pistoleiro chamado William Munny. Clint interpreta um personagem regenerado de seu passado, porém sofrido, amargurado com a morte de sua esposa e que se torna responsável por cuidar de seus filhos, com muito sacrifício. Motivado pela recompensa oferecido pelas prostitutas de uma pequena cidade, Munny parte à caça dos responsáveis pela desfiguração do rosto de uma das prostitutas, ao lado de seu fiel amigo Ned (Morgan Freeman) e outro pistoleiro, The Schofield Kid (Jaimz Woolvett).

A cidade é comandada pelo xerife Bill Daggett (Gene Hackman), o qual possui um estereótipo diferente dos tradicionais xerifes de filmes de western. Biil é ganancioso, violento e dominador. Richard Harris outro monstro do cinema mundial, interpreta English Bob, um pistoleiro que é ridicularizado e expulso da cidade pelo xerife, a fim de afastar os forasteiros e interessados na recompensa oferecida. Após cumprirem sua parte no acordo Munny e seus comparsas são perseguidos pelo Xerife e seus auxiliares. O embate de interpretações dos quatro atores é algo magnífico, tornando este filme um dos grandes clássicos do gênero.

Confira a lista de prêmios conquistados pelo filme.

Oscar 1993 (EUA):

Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood),

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Gene Hackman)

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Montagem

Globo de Ouro 1993 (EUA):

Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Gene Hackman)

BAFTA 1993 (Reino Unido):


Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Gene Hackman)

Mystic River - Sobre Meninos e Lobos (2003)




Jimmy, Sean e Dave eram amigos de infância no bairro irlandês de Boston quando, um dia, Dave foi raptado e passou quatro dias nas mãos de pedófilos. O evento mudou sua vida para sempre, e o trio acabou se afastando. Já adultos, eles levam suas vidas isoladamente: Sean (Kevin Bacon) é policial, investigador da divisão de homicídios; Jimmy (Sean Penn) tem uma loja depois de um passado de crimes, está no segundo casamento e tem três filhas; e Dave (Tim Robbins) também está casado e tem um filho. Tudo ia muito bem, até que numa noite a filha de Jimmy é violentamente assassinada.

A partir deste fato a trama adquire um clima psicologicamente intenso e pesado. Não por acaso Sean Penn e Tim Robbins venceram respectivamente o Oscar de melhor ator e ator coadjuvante. Os dois detetives do FBI Sean e seu parceiro Whitey (Laurence Fishburne) que tem uma atuação discreta, porém decisiva, tomam conta do caso, e paralelamente os capangas de Jimmy, também decidem realizar uma investigação para descobrir o culpado. A partir daí, velhas feridas são expostas e uma sucessão de fatos, cada vez mais emocionais e intensos, faz com que a vida de todos os personagens seja subitamente revirada de cabeça pra baixo. Tomando para si a condição de juiz e jurado, Jymmy toma uma decisão equivocada, porém diferente de alguns filmes hollywoodianos, Sobre Meninos e Lobos não tenta diminuir esta situação, pelo contrário, ele reforça a tese de que errar faz parte da natureza humana.

Confira a lista de prêmios conquistados pelo filme.

Oscar 2004 (EUA):

Prêmio de Melhor Ator (Sean Penn)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Tim Robbins)

Globo de Ouro 2004 (EUA):

Prêmio de Melhor Ator (Sean Penn)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante – Drama (Tim Robbins)

Festival de Cannes 2003 (França):

Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood)

Million Dollar Baby - Menina de Ouro (2004)


Maggie Fitzgerald (Hilary Swank) é garçonete de 31 anos que não encontra em sua família o amor que poderia ser lhe dado. Os fracassos da vida fazem com que Maggie busque no boxe uma fuga da realidade em que vive. É disto que o filme trata: “criar esperança”.
A força de vontade e a necessidade de Maggie de sair do seu lugar comum são tão intensas que nem mesmo o birrento e velho Frankie Dunn (Clint Eastwood) é capaz de fazê-la desistir desta que pode ser sua última chance de modificar sua vida. Frankie claramente machista, de inicio rejeita ajudá-la. É através da influência de Scrap (Morgan Freeman) que também faz a narração do longa, seu único amigo que mostra que existe em Maggie uma determinação além do comum e que isto, pode ser suficiente para torná-la uma grande lutadora.


Certamente ao assistir pela 1ª vez este filme, muitos de nós não desejariam que Maggie tivesse o desfecho que o roteiro desenhou para seu personagem, porém é a partir deste momento que o filme se torna magnífico, pois a sensibilidade dos atores Clint e Hillary se aflora. Cada diálogo, cada tomada é repleto de compaixão, e o filme deixa de falar de uma menina querendo mudar sua vida em cima de um ringue, ele passa a dar claras demonstrações de que está falando de como nós lutamos para sobreviver neste mundo difícil e complicado.
Menina de Ouro é um filme que consegue mesclar sentimentos: compaixão, esperança, medo e tristeza são algumas das sensações que o espectador se envolve durante a exibição do longa.

Confira a lista de prêmios conquistados pelo filme.

Oscar 2005 (EUA):

Prêmio de Melhor Filme

Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood)

Prêmio de Melhor Atriz (Hilary Swank)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Morgan Freeman)

Globo de Ouro 2004 (EUA):

Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood)

Prêmio de Melhor Atriz – Drama (Hilary Swank)

Screen Actors Guild 2005 (EUA):

Prêmio de Melhor Atriz – Drama (Hilary Swank)

Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante (Morgan Freeman)

Critics' Choice Award 2005 (EUA):

Prêmio de Melhor Atriz – Drama (Hilary Swank)

César 2006 (França):

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prêmio David di Donatello 2005 (Itália):

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Academia Japonesa de Cinema 2006 (Japão):

Prêmio de Melhor Filme Estrangeiro

Prémio Sant Jordi 2006 (Espanha):


Prêmio de Melhor Diretor (Clint Eastwood)





Há ainda uma vasta lista de indicações a prêmios dos filmes que contam com a presença de Clint Eastwood, um verdadeiro recordista de estatuetas, além de ter produzido diversos outros filmes que levaram multidões para o cinema.




*Curiosidades sobre Clint Eastwood:


- Clint Eastwood foi indicado ao Oscar 10 vezes, e venceu quatro.

- No começo de carreira, ele recebia 75 dólares por semana para fazer papéis em filmes B nos estúdios Universal.

- Sua primeira experiência como diretor foi durante as gravações de "Dirty Harry" (1971). O diretor Don Siegel ficou doente e Clint o substituiu no comando de algumas cenas.

- Durante as gravações, quando está trabalhando como diretor, Clint evita conversar. Usa apenas as palavras "Ok", "Ação" e "Corta".

- Eleito prefeito de Carmel, Califórnia, em 1986.

*Fonte:Guiadoscuriosos

Em Suas Palavras: "Talvez, por ser uma pessoa introvertida, isso me dá, por um acidente de percurso, uma certa presença na tela, um mistério", disse ao jornal The New York Times, em 1993.



E aí, gostou da matéria? Há uma infinidade de ótimos filmes com o nosso mito não acha? Deixe seu comentário! :)

@dé garcia

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...