Crítica: Animal Kingdom 1ª e 2ª Temporada (2016-2017, Christopher Chulack, John Wells e outros)

Ambientada na Califórnia, a série que promete muito sol, praia e surf talvez para contrastar com a subsequente vida sombria que os personagens principais vivem. Uma série forte para pessoas que gostam de ação e um bom drama familiar. 



Na primeira temporada, conhecemos um a um o clã da família Cody. Começando por Josh (Finn Cole), que após sua mãe morrer de overdose, continua sentando no sofá, estagnado, como alguém que simplesmente desistiu de tentar ou se importar.

Após o ocorrido, ele liga para sua avó, Janine (Ellen Barkin), conhecida como Smurf. Ellen inclusive é a liga da série, com uma interpretação densa mas ao mesmo tempo leve, consegue com maestria condicionar o espectador ao seu mundo. Nada acontece sem passar por ela, até essa temporada. Descobrimos então porque a mãe de J tentou mantê-lo longe da família, todos, incluindo seus tios Craig (Ben Robson) e Deran (Jake Weary), Pope (Shawn Hatosy) e seu filho adotivo Baz (Scott Speedman), são parte de uma organização criminosa, trabalhando basicamente com assaltos e roubos. série inclusive, é baseada no excelente thriller criminal australiano Reino Animal, escrito e dirigido por David Michôd, vale dar uma conferida.


J então é jogado no meio disso tudo, tendo que lidar com a desconfiança dos tios e a mudança repentina de vida, ele percebe que é importante se encaixar ali mesmo parecendo errado. A primeira temporada é construída exclusivamente na liderança de Smurf para com os filhos, mesmo sendo liberal com muitas coisas e sendo essa liberdade acima da média - como dar beijos na boca deles, vê-los trocando de roupa, dentre outras coisas - percebemos como a sua opinião, mesmo não sendo de acordo com os demais, era respeitada. 



Era, porque na segunda temporada, todos seus filhos se voltam contra ela, por acharem que são controlados demais, que recebem de menos e, ao se unirem, percebem - ou acham - que conseguem se livrar da mãe, porém, mesmo de longe, ela ainda consegue mexer os pauzinhos e fazer algumas de suas vontades. Nota-se esse ano, que todos sentem uma profunda mágoa e frustração, por motivos diversos e seus próprios conflitos internos, eles a culpam por coisas que deram errado e problemas que talvez eles não tivessem se não fosse por ela. E mesmo se mantendo firme, Smurf sofre longe dos filhos. O único que continua a seu lado é J. E ela sabe disso, tanto que começa a ''trabalhar'' nele, moldar sua cabeça para além daquilo que ela chama de ''ação''. J aproveita a oportunidade e se aproxima ainda mais dela. 



J inclusive é uma peça interessante esse ano. O olhar dele é muito inquietante, como se ele absorvesse tudo, sem dizer uma única palavra. Assim como Pope, que sempre parece saber mais do que mostra. De fato, sua mudança de comportamento é gritante, mesmo tentando se manter neutro, ele consegue se ajustar as escolhas da avó e de seus tios, sem criar problemas com nenhum deles. Aparentemente seu sangue está começando a falar mais alto. Não vou nem perder tempo falando da Nicky (Molly Gordon), porque ela é simplesmente indiferente para a série. 



Outro ponto positivo é a direção. Com tomadas rápidas nos momentos de ação, não nos perdemos nem um minuto, porque o posicionamento da câmera nos dá a impressão de estarmos lá no meio. Como se fossemos mais um personagem na trama. O desenvolvimento também é bom, sem enrolar demais em conversas ou situações recorrentes, tudo parece ser mais do que é, deixando um ar de conspiração, que nós, meros telespectadores, sabemos que existe. A fotografia também é muito bem colocada, com cenas na praia ou na orla, sempre com muito sol, eles vão surfar como qualquer pessoa normal vivendo suas vidas pacatas.  

De modo geral a série empolga, é engraçada e dramática na medida certa. Não força nos personagens e não cria situações surreais para serem resolvidas. Diria que foi uma surpresa boa. Indico! 


Direção: Christopher Chulack, John Wells, Karen Gaviola, Regina King, Tim Southam, Larry Teng. 

Elenco: Ellen Barkin, Scott Speedman, Shawn Hatosy, Ben Robson, Jack Weary, Finn Cole, Daniella Allonso, Molly Gordon, Carolina Guerra.

Sinopse: É um drama de família centrado em Joshua “J” Cole, um garoto de 17 anos que se muda com seus parentes para um praia do sul da Califórnia após a morte da mãe, vítima de uma overdose de heroína. Logo, Josh mergulha na vida de indulgência e excessos da família, que ele logo descobre, é fundada em atividades criminosas.


Trailer:

1ª Temporada


2ª Temporada


Imagens:









Gostou? 

Comente! Compartilhe!



Natália Vieira

Gosto de filmes e sou viciada em séries e música boa. Não tem muito o que dizer depois disso.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...