Crítica: Arrow - 5 ª Temporada



Revitalização. Essa era a palavra chave para uma evolução na história, meio que receosa fosse, para sequência da jornada Arrow. O resgate, que tanto os fãs clamavam, foi de certo ponto atendido na nova temporada, mas ainda com aquela física já arrastada e degastada que conhecemos das últimas duas temporadas. Animador mesmo pode ser a premissa que a Season Finale nos deixou, com a volta de alguns componentes, até certo ponto nostálgicos, nos envolveram e deixaram com aquele gosto amargo na boca.



ALERTA DE SPOILERS!

Assim começou a redenção da série, os novos personagens introduzidos na história fizeram uma nova percepção de aspecto para a trama. O ponto de ignição para tudo foi a considerável morte de Laurel Lance/Canário Negro (Katie Cassidy) na temporada anterior. A transformação, no entanto, não foi muito trabalhada no começo, apenas ditando as novas aquisições e um roteiro fadigado. A passível primeira parte da série não foi alimentada por cenas fortes, de alta tensidade, apenas para apresentar os integrantes Rene Ramirez/Cão Raivoso (Rick González), o melhor personagem introduzido por ter personalidade forte e dramática, Evelyn Sharp/Artemis (Madison McLauglhin), a antipática, Rory Regan/Retalho (Joe Dinicol), o infeliz vigilante descartado e Dinah Drake/Canário Negro (Juliana Harkavy), a substituta de Laurel. Falando em Cão Raivoso, a sua trama paralela com Quentin Lance (Paul Blackthorne) foi outra grata surpresa para o conteúdo construtivo de equilíbrio dos personagens.





Com essa premissa, o ressurgimento também pode dar-se ao crédito de enfim, termos um vilão que pretendia derrotar o herói e sair do clichê de "Derrotar os civis e dominar o mundo". Prometheus/Adrian Chase (Josh Segarra) incorporou algo bem intenso para a trama. Com as mesmas expressões de Oliver, Adrian conseguiu criar o ódio do público positivamente, como todo seu jogo psicológico. Uma delas era trazer de volta quem realmente era Oliver Queen, o porque ele estava ali sendo o Arqueiro, qual o significado daquilo tudo.

Grandes embates entre os dois deram toda a dinâmica da temporada. A narrativa do personagem antagonista deu o ar de dramaticidade até a última cena. Com isso, muitos outros personagens foram trabalhados para termos conteúdo no final. Felicity foi que se destacou mais, mesmo ainda sendo aquela antipática, seu arco foi importante para a trama quando se uniu ao grupo hacker HELIX. A loira ainda teve sua aproximação amorosa com Oliver Queen e sim, teve um episódio totalmente descartável para trazer novamente essa união. 





A quinta temporada deu uma boa alavancada para Arrow, em todos os quesitos de personagens, dramas e narrativas interessantes. O roteiro conseguiu o sucesso de ter grandes cenas entre os principais personagens da história. O que realmente não encaixou legal foram os flashbacks. Não que seja descartável, porém, o trabalho em cima deles não foi tão realçado quanto a outros já vistos. Nos atuais, vimos como a maturidade de Oliver foi trabalhada pelos Russos. 





Slade Wilson deu as caras novamente. O grande anti-herói deixou os fãs surpresos. Ao que tudo indica, na próxima temporada, poderemos ter mais aparições dele. Slade poderá ser uma importante peça para o questionamento do Season Finale. O que realmente houvera, de fato, na explosão de Lian Yu?

Aliás, uma metáfora justa para a ilha. A explosão é a melhor representação de tudo que já se viu até aqui. Uma nova fase está por vir. A revitalização, o resgate está apenas começando. Arrow não pode ser a melhor série de heróis hoje, porém vai conseguir nos deixar prendados na televisão mais uma vez na sexta temporada. Esperamos que a mitologia da série seja um roteiro de condução para os próximos episódios.








Título Original: Arrow

Direção: Greg Berlanti, Marc Guggenheim e Andrew Kreisberg

Elenco: Stephen Amell, Emily Bett Rickards, David Ramsey, Willa Holland, Paul Blackthorne, Echo Kellum, Josh Segarra, Katie Cassidy, John Barrowman, Audrey Marie Anderson, Rick Gonzalez, Madison McLaughlin, Joe Dinicol, David Nykl, Juliana Harkavy e Manu Bennett


Sinopse: Playboy, milionário e mulherengo, Oliver Queen (Stephen Amell) está presumivelmente morto há 5 anos, quando um acidente de iate causou o desaparecimento dele, de seu pai, Robert (Jamey Sheridan), e Sara Lance, irmã de sua então namorada Laurel (Katie Cassidy). Mas Ollie sobreviveu e, preso em uma ilha, ele aprendeu a lutar por sua vida. De volta à civilização, ele é um homem mudado e está decidido a honrar a memória do pai e livrar a cidade da corrupção. Disfarçado, ele usa as habilidades que aprendeu durante seu tempo de reclusão para isso, e ao mesmo tempo precisa esconder sua nova identidade da população de Star City



Trailer





Gostou da matéria? Então comente aí e dê seu like 😊

Fagner Ferreira

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...