Crítica: Carros 3 (2017, de Brian Fee)


Carros foi lançado em 2006 e, como a maioria dos filmes da Pixar, foi aclamado pela crítica mundial. Eu assisti o filme no cinema quando era pequeno, então ele me marcou muito e, até hoje, é um dos meus filmes favoritos da Pixar. Com Carros 2, já foi diferente. Foi um dos primeiros filmes da Pixar - se não o primeiro - que foi destroçado pela crítica, e com razão. O filme tem vários problemas e é de fato o pior filme que a Pixar fez até hoje. Será que o terceiro filme segue a linha do primeiro ou do segundo? Venha descobrir.

 



A direção é de Brian Fee, que trabalhou como animador e artista de storyboard em muitos outros filmes da Pixar (como Wall-E, Ratatouille, Divertida Mente, os outros dois filmes da série Carros, entre outros), mas esse é o primeiro filme que ele assina como diretor. Eu não sabia disso quando vi o filme, e em momento algum ele me pareceu alguém inexperiente. As cenas de corrida são muito bem dirigidas, não há excesso de cortes e, na cena final, ajudam o espectador a se emocionar e ficar concentrado no filme. Eu acho que, com um roteiro melhor, ele pode se destacar e fazer grandes filmes.




Eu assisti ao filme dublado - infelizmente, não haviam sessões com o áudio original do filme na minha cidade, mais uma vez -, então não posso comentar sobre o trabalho de voz dos atores.

O roteiro do filme é previsível, clichê e em algumas partes enfadonho demais, mas no terceiro ato o filme melhora muito e se torna divertidíssimo. A cena final do filme é bastante previsível, mas é muito legal para quem curte o primeiro filme, eu me emocionei.




O que me decepcionou bastante foi a falta de atenção dada aos personagens antigos. De todos eles, o único que tem importância de verdade é Hudson Hornet. Seria interessante ter visto mais dos outros personagens, principalmente Mate e Sally.

O filme tem o selo Pixar de qualidade na produção. A animação é maravilhosa, o design de som é ótimo, a edição é certinha e a trilha sonora é muito boa.




Carros 3 fica no meio termo entre o primeiro e o segundo filme. Ele não é tão bom quanto o primeiro, mas é bem melhor do que o segundo. Emociona o público, o diverte em uma parte e o entedia em outra, mas, no final, o saldo é positivo, embora não tanto. Eu sentirei falta dos personagens, mas guardo o DVD do primeiro filme para assistir quando quiser. 




 
Título Original: Cars 3

Direção: Brian Fee

Elenco: Owen Wilson, Larry The Cable Guy, Armie Hammer, Cristela Alonzo, Bonnie Hunt, Kerry Washington, Nathan Fillion, Lea DeLaria

Sinopse: Veterano das pistas, o campeoníssimo Relâmpago McQueen se vê em apuros após o surgimento de um novato bastante veloz, Jackson Storm, que utiliza de alta tecnologia nos treinamentos. Obrigado a chegar ao limite para batê-lo, McQueen acaba sofrendo um sério acidente durante uma corrida, que o obriga a abandonar o campeonato daquele ano. Prestes a iniciar a próxima temporada, ele se vê em dúvidas sobre se consegue ser rápido o suficiente para bater Storm e, por causa disto, busca ajuda com seu novo patrocinador.


                                                               
                                                                               Trailer:



Deixe seu comentário:

Luis Gustavo Schuh Bocatios

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Comente sobre o filme ou o blog. Pergunte, reclame ou elogie.

Obrigado...